Brasil sedia encontro sobre línguas do futuro do ensino superior

O primeiro encontro internacional intitulado “O Português, Espanhol, Francês, línguas do futuro do ensino superior e da pesquisa científica”, acontece nesta quarta feira, 23, no Brasil.

Na programação, que conta com a participação de 25 reitores de universidades da América Latina, da África e da Europa, está também à participação do Reitor da Unilab Paulo Speller, convidado da organização, além de representantes diplomáticos de países francófonos e hispânicos.

O objetivo do evento é chamar a atenção para a expansão da língua francesa, e de outras, como línguas do futuro e da ciência, segundo a assessoria do evento “a ciência deve também ser poliglota”, além de registrar o início da atuação presencial da AUF na América Latina. Para Patrick Chardenet, diretor da filial para a América Latina do Escritório das Américas, o movimento de pensar as três línguas como um conjunto no campo científico se contrapõe à influência de qualquer que seja a língua hegemônica nesse campo, hoje fortemente dominado pela língua inglesa. “Ao juntar essas três línguas, se pretende desenhar alianças estratégicas multilaterais e multipolares com outras áreas linguísticas, inclusive com o universo anglófono”.  Diz Chardenet.

A agência tem como proposta, para a sua sede no Brasil, uma atuação em três frentes: auxílio no desenvolvimento de projetos inter-universitários de ensino e de pesquisa; aumento do número de universidades membros no Brasil e na América Latina, com o objetivo de ajudar a desenvolver o espaço universitário acadêmico nas Américas e aberto ao mundo; e atividades que proporcionem às comunidades científicas a união com as redes de pesquisa internacionais que trabalham com cerca de 8 mil pesquisadores em 759 universidades.

Promovido pela Agência Universitária da Francofonia (AUF), o evento, que será realizado no Memorial da América Latina em São Paulo, é resultado das ações propostas durante a Conferência Mundial sobre Educação Superior (2008, UNESCO, Paris), no qual foram identificados quatro temas da agenda internacional de universidades, para atender às necessidades sociais. São eles: maior investimento no ensino superior, os meios de acesso ao capital, a necessidade da diversidade linguística e cultural e reforçar a cooperação regional no âmbito da internacionalização.

A AUF, que completa 50 anos em 2011, e foi fundada em Quebec, no Canadá, tem duas sedes centrais: uma em Paris e outra em Montreal, no Canadá. Com suas 774 instituições espalhadas por 90 países, a AUF pretende facilitar o fluxo de cooperação interuniversitária, oferecer aos seus membros, professores pesquisadores, alunos de pesquisa, uma vasta rede de intercâmbio aberto de conhecimentos, de parcerias, de investigação e ciência, alianças, espaço, língua e cultura.

Acesse a programação:
http://www.auf.org/IMG/pdf/Prog_preliminaire_Antenne_PT.pdf

Fonte: Assessoria de Comunicação e Imprensa da AUF e Site da Unesp

Comentários encerrados.