Comissão formada por professores-doutores avalia projetos do Pibic/Unilab

As propostas de pesquisa apresentadas ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da Unilab passarão, durante a tarde desta terça-feira (28), pelo crivo de uma comissão composta por quatro pesquisadores-doutores de alto nível (nível 1A da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes). A professora Tânia Macedo, da Universidade de São Paulo (USP); e os professores Paulo Teixeira, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); Jacques Therrien, da Universidade Estadual do Ceará (Uece); e Manassés Claudino Fonteles, da Universidade Estadual do Ceará (Uece) vão avaliar as 30 propostas de projetos apresentadas no edital Proppge 04/2012. Os pesquisadores também vão definir a quantidade de bolsas por projeto. De acordo com o edital serão ofertadas até 50 bolsas.

Professores convidados, vice-reitora no exercício da Reitoria, Maria Elias Soares, e o professor Áurio Lúcio

O Pibic/Unilab tem como objetivo geral o apoio às atividades de pesquisa científica realizadas por docentes, discentes e técnicos da Universidade. A estrutura básica do programa da Unilab tem como referência o Pibic do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O coordenador de Pesquisa e Pós-Graduação da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão (Proppge), Áurio Lúcio Leocádio da Silva, explica que o convite feito aos professores renomados no campo da pesquisa científica demonstra o esforço da Unilab em elevar o nível da sua pesquisa científica. “Queremos dar robustez ao nosso Programa de Iniciação Científica”, explica.

Os professores foram recebidos pela vice-reitora no exercício da Reitoria, Maria Elias Soares

Na chegada da comissão ao Campus da Liberdade, a comissão de professores recebeu as boas-vindas da vice-reitora no exercício da Reitoria, Maria Elias Soares, e do professor Áurio Lúcio. Maria Elias explica que a avaliação dos trabalhos de iniciação científica por pesquisadores credenciados pelo CNPq faz parte de uma política adotada nacionalmente pelas universidades tendo em vista a adoção de níveis de excelência em termos de pesquisa científica. “Temos certeza que teremos uma avaliação com isenção e levando em conta os parâmetros de qualidade buscados por todas as universidades do país. É muito bom a Unilab ter a presença desses pesquisadores porque deixa claro que não haverá qualquer tipo de concessão. Os projetos serão submetidos a uma avaliação isenta e qualificada”, diz.

A reunião de avaliação dos projetos que serão aprovados no Pibic/Unilab foi fechada

Professor Paulo Teixeira

O professor Paulo Teixeira já havia participado da comissão que avaliou os projetos do Pibic/Unilab de 2011 que ofertou 25 bolsas de iniciação científica. De volta a Redenção, ele se diz muito feliz com o aumento do número de bolsas. “A Unilab está começando agora em várias áreas que interessam a essa região em que ela está inserida e aos países lusófonos. A Universidade está bem focada e a perspectiva de crescimento na área de pesquisa científica é muito boa”, avalia.

Professora Tânia Macedo

A pesquisadora Tânia Macedo, que está pela primeira vez em Redenção, reconhece também o esforço da Unilab em fortalecer sua pesquisa com a implementação do Pibic institucional. “Essa iniciativa demonstra o tipo de inserção que a Universidade quer ter numa perspectiva voltada para a comunidade local e para os países de língua portuguesa. É como diz um poema africano: ‘Com os pés fincados na terra´”, diz.

Professor Jacques Therrien

O professor Jacques Therrien tem uma estreita relação com a Unilab. Ele já foi pró-reitor de Graduação da Universidade. Agora, voltando como consultor, ele se diz muito entusiasmado com o crescimento da universidade. “Para mim, que participei da luta do início da atividade da Unilab, é bom ver esse crescimento”, diz.

Professor Manassés Claudino Fonteles

Para o professor Manassés Claudino Fonteles, o investimento que uma universidade faz criando um programa de iniciação científica é um reconhecimento de seu papel de produzir conhecimento. “Sempre fui um apreciador contumaz de projetos de iniciação científica. Esses projetos abrem a oportunidade para se caminhar no campo investigativo junto aos jovens alunos abrindo perspectivas para novas descobertas, novas tecnologias e, sobretudo, para uma educação científica que é um dos principais objetivos da universidade que é criar conhecimento novo. Para mim, iniciação científica é o começo de tudo. Está demonstrado que quem faz iniciação científica caminha muito mais rápido para a pós-graduação”, afirma.

Resultados do Pibic 2011/2012

Os professores consultores terão mais uma atividade no Campus da Liberdade na manhã desta quarta-feira (29). Às 10 horas, eles vão participar do I Encontro de Iniciação Científica da Unilab, durante o qual estudantes bolsistas do Pibic 2011/2012 vão apresentar os resultados de suas pesquisas. O encontro terá início com uma mesa de abertura em que estarão presentes o reitor Paulo Speller, a vice-reitora Maria Elias, pró-reitores, professores e os consultores convidados. À tarde, a equipe de consultores irá se reunir com os estudantes e professores integrantes do Pibic para uma avaliação coletiva dos trabalhos apresentados.

Para ver a programação completa do I Encontro de Iniciação Científica da Unilab, acesse o LINK.

 

 

 

Comentários encerrados.