Reitor Paulo Speller lança nota sobre edital CT-Infra 01/2013

A Unilab, por meio da Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação, pretende enviar proposta de projeto para a Financiadora de Estudo e Projetos (FINEP), empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, através do edital CT-Infra 01/2013. Sobre o envio de proposta da universidade para este edital, o reitor Paulo Speller divulga o seguinte esclarecimento:

“O CT-Infra representa uma oportunidade importante para a Unilab, que deverá apresentar  uma proposta multidisciplinar única com enfoque voltado para estrutura e equipamentos de pequeno e grande porte para pesquisa de uso múltiplo pela instituição. A Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação, vinculada à Proppge, coordenará a elaboração da proposta, assegurando a contemplação das necessidades levantadas. A proposta procurará ainda coadunar-se com os projetos de cursos de mestrado em elaboração e a serem submetidos à Capes proximamente. A coordenação e liderança do subprojeto caberá aos docentes com maior produção científico, de acordo com critérios especificados pela Finep”.

Ação multidisciplinar

Para iniciar a elaboração da proposta conjunta que será enviada à seleção do edital, nesta sexta-feira (01), às 09h, a Coordenação convoca os professores efetivos e líderes de grupos de pesquisa da Unilab para participar de uma reunião. Neste encontro, que vai ocorrer na sala da Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação, conta com a presença do consultor da FINEP para o CT-Infra e ex-pró-reitor de Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Paulo Teixeira.

Coordenadora de Pesquisa e de Pós-Graduação, Socorro Rufino, e o consultor e professor da UFMT, Paulo Teixeira

Coordenadora de Pesquisa e de Pós-Graduação, Socorro Rufino, e o consultor e professor da UFMT, Paulo Teixeira.

De acordo com Paulo Teixeira, a Unilab tem grandes chances de ser aprovada pelo edital. “A proposta deve estar alinhada com a missão da instituição e estar de acordo com as necessidades da região, além de ser liderada por professores produtivos e uma equipe capacitada”, esclarece. Segundo o edital, a universidade pode ser contemplada com até 2 milhões de reais para serem utilizados em obras e equipamentos multiusuários de médio e grande porte. “São recursos voltados para a infraestrutura de pesquisas, mas deverá trazer benefícios também para as áreas de graduação e pós-graduação”, complementa o consultor.

A coordenadora de Pesquisa e Pós-Graduação, Socorro Rufino, afirma que o projeto deve ser multidisciplinar. “Esta iniciativa é uma oportunidade para a nossa instituição, dando possibilidades de um projeto que vislumbre a multidisciplinaridade, com pesquisas em diferentes áreas”, destaca. Sobre a participação dos docentes na elaboração de uma proposta conjunta, ela diz: “Espero que todos possam se alinhar em um mesmo objetivo para a construção única deste projeto”.

 Sobre o Edital

O edital, lançado pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) é voltado à implantação, modernização, ampliação e recuperação da infraestrutura física de pesquisa nacional, oferecendo R$ 370 milhões em recursos não reembolsáveis (que não precisam ser devolvidos) originários do FNDCT/Fundo Setorial CT-Infra a instituições públicas de ensino superior ou de pesquisa. Desse total, R$ 70 milhões serão destinados a subprojetos dos campi regionais de universidades federais – aqueles localizados fora do município em que se situa a sede da universidade.

Faça o download do Edital da Chamada Pública MCTI/FINEP/CT-INFRA 01/2013

O objetivo maior da chamada pública é mitigar as assimetrias regionais e estimular a distribuição territorial mais equânime da pesquisa brasileira. Assim, do total de recursos, pelo menos 40% deverão ser aplicados nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e nas regiões de abrangência da SUDENE e da SUDAM.

Cada órgão executor poderá participar em apenas uma proposta, com até 10 subprojetos. Para as instituições com até cem doutores, o valor máximo que poderá ser solicitado é R$ 2 milhões. Para aquelas com mais de cem doutores, o valor máximo a ser solicitado deverá corresponder ao número de pesquisadores doutores multiplicado por R$ 20 mil, não podendo superar o limite de R$ 20 milhões. O valor global mínimo solicitado em cada proposta deverá ser de R$ 1 milhão.

O prazo para envio de propostas é 16 de maio.

Para mais informações, acesse o portal da FINEP.

Comentários encerrados.