Dia da África é comemorado no Campus dos Malês com participação da comunidade local

Aconteceu de 24 a 28 de maio, no Campus dos Malês, a Semana da África em comemoração ao Dia da África, celebrado em 25 de maio em todo o mundo. Com o tema “2016 Ano Africano de Direitos Humanos, com foco em Direitos das Mulheres Africanas”, o evento buscou o intercâmbio da comunidade acadêmica com movimentos sociais e a população do Recôncavo Baiano, especialmente, de São Francisco do Conde/BA.

1

Na abertura, foram cantados os hinos do Brasil, da cidade de São Francisco do Conde e da União Africana e estiveram presentes professores, estudantes e a diretora, Matilde Ribeiro, para dar boas vindas aos participantes. A ação teve continuidade com a palestra “União Africana, Diáspora e Direitos das Mulheres Africanas”, ministrada pelo professor Detoubab Ndiaye, da Universidade Estadual da Bahia (Uneb). Neste mesmo dia, a programação ainda contou com o debate do filme “Flor do Deserto”, moderado pela professora Cristiane Souza, integrante do Coletivo das Mulheres Africanas (CMA). Para Bas ́llele Malomalo, um dos professores envolvidos na produção, “o evento corresponde a missão da Unilab que é a realização da integração entre o Brasil e os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), especialmente, os países africanos, e o desenvolvimento regional”, afirmou. Ainda segundo ele, “a Semana da África criou um espaço de integração entre os membros da comunidade acadêmica e os cidadãos de São Francisco do Conde/BA através das atividades acadêmicas, esportivas e artísticas. O envolvimento dos estudantes no processo da construção e execução do evento lhes possibilitou desenvolver competências intelectuais e de lideranças”, acrescentou.

3

No segundo dia, as comemorações continuaram no Mercado Cultural da cidade com oficinas de tranças, penteados e lenços africanos, além de almoço temático, desfile com trajes africanos, teatro e músicas que remetem à temática. A programação aconteceu das 09h às 18h e contou com a participação da comunidade externa. Para o estudante Beto Infandé, presidente da Associação dos Africanos e Amigos da África (ASEA), que também fez parte da organização, “essas iniciativas criam oportunidade de dizer aos moradores da cidade o que é a Unilab, assim como divulgar sua proposta, além de levar informações sobre o Dia da África, desmistificando imagens estereotipadas do continente e seu povo”, disse ele. Ainda segundo Beto, o evento foi um espaço de proporcionar diálogos sobre acordos no âmbito internacional  entre a comunidade acadêmica.

2

No dia 26, quinta-feira, feriado, os estudantes se encontraram para uma partida de futebol – ação de confraternização que fez parte dos movimentos da Semana com o objetivo de integrar os novos alunos. Em continuidade à proposta, no quarto dia do evento, foi realizada a “Caminhada África  Positiva”, da Unilab à Prefeitura, chamando a atenção dos moradores da cidade para a temática, assim como da comunidade acadêmica.

4

O evento ainda contou com a palestra “Diáspora Africana e Direitos Humanos na perspectiva da agenda da União Africana”, na sexta-feira (27), ministrada pelos professores José Lingna Nafafé, da University of Bristol, e Bas ́llele Malomalo, da Unilab. Para Bas ́llele, “esse momento foi especial para a comunidade externa e interna por discutir e refletir sobre as violências que afetam a vida de mulheres africanas e brasileiras. O que observamos foi o compromisso dos participantes em defender os direitos das mulheres e esse é o nosso compromisso como mulheres e homens que formamos a comunidade internacional que é a UNILAB”, afimou.

A Semana da África que contou com os esforços de discentes, docentes, técnico-administrativos, integrantes das organizações sociais africanas e Secretaria de Cultura do município encerrou com uma festa africana, no sábado (28).

 

Comentários encerrados.