Fórum de Cultura do Maciço de Baturité integra-se ao I Festival de Culturas da Unilab

Foto: Assecom/Unilab.

Foto: Assecom/Unilab.

Uma aula de reisado foi a abertura do Fórum de Cultura do Maciço de Baturité. Todos que estavam no auditório administrativo da Unilab ficaram encantados com a expressividade da cultura tão peculiar e sublime deste artista popular, o mestre da Cultura Vicente Chagas, artista de Guaramiranga, que usou suas cantigas de boi e contação de histórias para dar ritmo e melodia à cultura de origem cearense.

Dando início às atividades desenvolvidas no I Festival de Culturas da Unilab, o Fórum de Cultura do Maciço de Baturité, o qual tem como princípio a articulação e o fortalecimento das políticas culturais da região promoveu a interação entre a Unilab, representada pelo reitor pro tempore, Tomaz Santos, o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Fabiano do Santos Piúba, o secretário do Fórum do Maciço de Baturité, Welder Muniz, a pró-reitora de Extensão, Rafaella Pessoa, e o coordenador de Arte e Cultura, Mário Henrique Castro, além de representantes da sociedade civil, alunos e demais participantes.

Grupo de reisado de crianças e adolescentes de Pacoti, no Maciço de Baturité. Foto: Assecom/Unilab.

Grupo de reisado de crianças e adolescentes de Pacoti, no Maciço de Baturité. Foto: Assecom/Unilab.

“A Unilab quer ser parceira e estar a serviço do Estado do Ceará, e em especial do Maciço de Baturité”, declarou Tomaz Santos. Essa ideia destaca a universidade como espaço e lugar para que as expressões culturais sejam disponíveis a todos, além de servir de intensa cooperação com todos os agentes públicos do Estado do Ceará, da região do Maciço de Baturité e sociedade contribuindo para o desenvolvimento cultural, econômico e artístico em benefício da região.

Quanto à realização do Fórum de Cultura do Maciço de Baturité integrado ao I Festival das Culturas, o reitor enfatizou a importância deste encontro, onde os conteúdos que o Fórum apresenta são de muita importância para a Unilab, e por ser um momento de troca de demandas, de pensamentos, de proposições, considerando que a ideia do Festival é “que seja do Maciço, como o Maciço e para o Maciço, tendo também uma dimensão econômica”, enfatizou.

O Secretário do Fórum do Maciço de Baturité, Welder Muniz, entregou uma “Carta Sugestão”, chamada de “Carta de Redenção”, ao secretário da Cultura do Estado do Ceará, Fabiano dos Santos. Segundo Welder, todas as propostas de escolha da cidade para a instalação do Escritório Regional da Secretaria da Cultura (Secult), no Centro Regional de Instalação da Secult (Cria), foram feitas em Redenção/CE. Destacou ainda que a Unilab tem sido parceira neste processo de escolha da cidade de Baturité como o local mais adequado para a implantação do escritório.

Logo depois, Fabiano dos Santos, secretário da Cultura do Estado do Ceará, destacou a extensa atividade do Fórum do Maciço de Baturité ao longo dos anos na região visando o fortalecimento das políticas culturais na articulação dos secretários municipais de cultura, mas também com articulação na sociedade civil, produtores, artistas da região. Para ele, o encontro é “uma instância importante na relação com a Secretaria Estadual da Cultura, sobretudo no processo da interiorização das políticas culturais e na articulação com as secretarias de cultura do Maciço de Baturité”, afirma.

DSC_0031

Mestre Vicente. Foto: Assecom/Unilab.

O secretário acredita que as atividades do grupo feitas de forma integrada com o Festival de Cultura da Unilab vão produzir importantes ações de articulação entre as secretarias da cultura, com os municípios da região e, agora, com a universidade que está inserida na região.

“O importante das reuniões do fórum é discutir e tentar ver a melhor maneira de desenvolver as atividades na região assim como na Universidade”, ou seja, “Trazer da região para universidade. Levar da universidade para região, além de fazer essa troca entre a comunidade e a universidade”, explica a professora e pró-reitora de Extensão, Arte e Cultura, Rafaella Pessoa.

Ela declarou ainda que as atividades realizadas com êxito pela Unilab com ações de movimento, os fóruns, as quartas culturais, exposições, entre outras atividades, que deram suporte ao acontecimento do I Festival das Culturas o qual objetiva trabalha a integração e discutir a africanidade presente na cultura brasileira, trazendo a temática “Vozes de África, Vozes do Brasil”.

Concluindo os trabalhos, o professor e coordenador de Arte e Cultura, Mário Henrique Castro, agradeceu a presença de todos que estiveram no evento e, em especial, a presença do secretário Fabiano Piuba por participarem do espaço onde o fórum promove as discussões e que a Unilab abraçou.

“A existência de um espaço contínuo de debates sobre cultura, numa carga formal e informal, é muito importante. Faz com que nos aproxime, nos deixa a par das pautas fundamentais sobre a cultura, coloca a universidade junto, mais próximas às cidades. E, às cidades, mais cientes das universidades, mais entendidas. Casar o encontro do fórum com o I Festival das Culturas da Unilab é um momento feliz”

Enfatizou a necessidade da promoção da cultura como espaço e uma prática necessária, já que “a enfatizarão passa pela prática e concretude de ações e de políticas, de momentos, de encontros que as pessoas se emocionam e assim, entendem a importância do simbólico, do histórico, da memória, da estética, de novo, uma sabedoria das crianças, na sabedoria dos mestres, aprendendo um pouco mais com isso e entendendo o que realmente dá o sentido para todas as outras coisas”, concluiu.

Compareceram ao evento ainda os representantes Lenildo Gomes, da Coordenadoria de Conhecimento e Formação Cultural, o secretário de Cultura e Turismo da prefeitura de Guaramiranga, Ricardo Ruiz, a representante da prefeitura de Guaramiranga, Ana Luíza, o mestre Vicente Chagas, artista popular, a representante da Associação dos Amigos da Arte de Guaramiranga (AGUA), Terezinha Lisiê Freire, além de alunos e monitores da Unilab e demais participantes.

BOTAO-AVALIE

Comentários encerrados.