Reunião entre Unilab e cônsul honorário de Cabo Verde no Ceará busca estabelecer parcerias

Da esquerda para a direta: o cônsul, Roberto Marinho; a estudante caboverdiana egressa da Unilab, Carmen Ariana; e o pró-reitor de Relações Institucionais da Unilab, Edson Borges.

No último dia 11, a Unilab, representada pelo pró-reitor de Relações Institucionais, Edson Borges, reuniu-se com o cônsul honorário de Cabo Verde no Ceará, Roberto Marinho, junto com a estudante cabo-verdiana Carmen Ariana, egressa do curso de Administração Pública.

O cônsul demonstrou entusiamo com a Unilab e com o número de 91 estudantes de Cabo Verde que estão matriculados na instituição. Presidente da Câmara de Comércio Brasil-Angola, Roberto Marinho destacou a necessidade de aumentar o intercâmbio comercial e cultural entre Brasil e, principalmente, o estado do Ceará, com Cabo Verde. Em consequência, destacou que planeja construir um projeto de cooperação entre a Universidade de Cabo Verde (UniCV) e universidades cearenses, entre elas a Unilab.

O consulado intenta ainda criar um Instituto Brasil-Cabo Verde (IBCV) para desenvolver projetos de cooperação nas áreas de engenharia, arquitetura, educacação, cultura etc.

Segundo Roberto Marinho, o instituto deve apoiar o desenvolvimento de negócios para estabelecer parcerias com empresas brasileiras e envolvendo estudantes caboverdianos que se formarão nas universidades situadas no estado do Ceará. “Há em Cabo Verde incentivos para todo tipo de indústria, havendo necessidade de engenheiros, arquitetos etc. A proximidade geográfica poderá construir uma ponte entre o Ceará e Cabo Verde, através da abertura de empresas de economia criativa”, citou.

Próximos passos

A reunião terminou com alguns encaminhamentos para a construção de parcerias. Em março, o cônsul deve vir à Unilab para conhecer a universidade, reunir-se com a gestão e, principalmente, com a Associação de Estudantes de Cabo Verde e estudantes caboverdianos.

Há ainda a ideia de fazer um trabalho de integração com os caboverdianos recém-chegados ao Ceará, com ações nas cidades de Fortaleza, Acarape e Redenção, buscando também aproximar os estudantes do consulado.

A partir de sugestão do professor Edson Borges, será analisada uma linha editorial para publicar, no Brasil, autores de Cabo Verde e livros que se dedicam à História, Sociologia, Antropologia, Economia e Literatura africanas.

Saiba mais sobre o consulado de Cabo Verde no Ceará em sua página no Facebook.

Comentários encerrados.