Sétima edição do Samba promove envolvimento e integração entre os alunos e a Unilab

Abertura do VII Seminário de Ambientação Acadêmica (Samba)

O ingresso a uma universidade é motivo de comemoração, foi assim que aconteceu entra os dias 3 a 7 de abril, na sétima edição do Seminário de Ambientação Acadêmica (Samba) para a recepção dos novos e veteranos estudantes no Ceará e na Bahia. A programação contou com atividades artísticas, palestras, oficinas, além da apresentação dos programas, serviços e estrutura da universidade.

A abertura do Samba no Ceará, contou com a apresentação do grupo angolano “The Black Double Dance”, animando os participantes do Samba, além da recitação de um poema pelo guineense e autor, Armando Correa, com o título “Quem sou”.

Grupo angolano “The Black Double Dance”

Compareceram a abertura do evento e formação da mesa de honra, o reitor pro tempore, professor Anastácio de Queiroz, o Pró-Reitor de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae), Alexandre Costa, a coordenadora de Políticas Estudantis e assistente social, Socorro Maciel, a coordenadora de Assistência à Saúde do Estudante, Flávia Paula e o tutor do Programa de Acolhimento e Integração de Estudantes Estrangeiros (Paie), Armando Arnaldo Correa.

Da nomenclatura da Unilab, a palavra em destaque é a Integração, onde “todos temos que trabalhar para aprender uns com os outros, nos integrar a este ambiente universitário para poder aproveitar o máximo de tudo, já que entrar numa universidade pública e nova é uma oportunidade ímpar”, enfatizou Anastácio de Queiroz.

Segundo Aline Crispim, assistente social da Propae, a novidade do seminário nesta primeira edição do ano de 2017, foi a apresentação, dentro da programação do Samba, dos cursos aos estudantes novatos na ação “Conhecendo Meu Curso”, onde o Instituto de Humanidades e Letra (IHL) e o Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), através das coordenações dos cursos, foram convidadas a se reunir com os estudantes para os instruir e tirar dúvidas quanto a estrutura e disciplinas do curso presencial escolhidos.

Outra atividade em destaque foi a apresentação do Programa Pulsar, vinculado à Pró-Reitoria Graduação (Prograd), com vista a contribui para o acompanhamento e orientação acadêmica dos estudantes dos cursos de graduação da Unilab, na forma de ações de tutoria, promovendo a adaptação para permanência qualificada do mesmo e orientá-lo para uma transição tranquila e organizada da Educação Básica para a Superior.

Em cada ano civil é lançado edital do Programa Pulsar para seleção de estudantes que tenham cursado, pelo menos, o primeiro ano de seu curso para executar atividades como Tutor Júnior. O próximo edital tem previsão de abertura no mês de maio. Segundo dados apresentados pela pedagoga da equipe do Pulsar/Prograd, Fátima Nascimento, em 2016 foram ofertadas 85 bolsas aos estudantes (Tutores Juniores), orientados pelos 69 professores orientadores (Tutores Seniores) dos institutos beneficiados entre o Ceará e a Bahia.

Para Armando Arnaldo Correa, guineense, estudante do 6º semestre do curso de Bacharelado em Humanidades (BHU/IHL), a importância do seminário é fundamental na acolhida dos estudantes novatos, tanto para os estudantes brasileiros, como para os estrangeiros, pois visa integrar o aluno a sociedade brasileira, instruindo quais são as dinâmicas, as informações básicas, processos e regras da universidade, além de direcionar como devem atuar e colaborar para um melhor desenvolvimento da parceria.

Poema “Quem sou” por Armando Correa

Após ter estudado em outras instituições de ensino superior na capital do Ceará, Érica Ferreira, novata do curso de Administração Pública, vinculado ao Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), deslumbrou-se com a ação do Samba promovida pela Unilab, por ter o acolhimento nunca sentido em outras instituições. “Ter novos amigos e está rodeada pelos antigos, conhecendo melhor a universidade, seu plano de ação e a dinâmica dos cursos me fez sentir ‘em casa’, não como uma novata”, declarou.

Samba na Bahia
No Campus dos Malês, em São Francisco do Conda/BA, a palestra buscou recepcionar e motivar os novos universitários no cenário acadêmico, contribuindo para sua inserção na Universidade, promovendo um momento de acolhida e integração dos calouros com a devida apresentação da nova realidade dentro da graduação, a fim de desenvolver sua autonomia no mundo acadêmico.

O evento foi coordenado pela Seção de Políticas Estudantis (Sepe) e apresentado pelos técnicos-administrativos (TAEs) entre os dias 6 e 07 de abril, a certa de 60 estudantes, entre eles brasileiros e estrangeiros.

Apresentação dos serviços da Unilab aos estudantes novatos no Campus do Malês/BA

Em depoimentos colhido através de questionários entre os estudantes, segundo a chefe da Sepe e assistente social, Leila Machado, as expectativas apresentadas foram positivas e, para alguns, inesperadas. Assim como relata Quézio Miranda, santomense, calouro do Bacharelado em Humanidades (BHU), que acredita que o Samba “veio para melhorar o comportamento psicológico e social entre os ‘irmãos africanos’ e a unidade entre os brasileiros”.

A percepção da Unilab entre os iniciantes é descrita na pesquisa como diferencial apresentado pelo plano curricular comparado à outras instituições de ensino, além de oferecer as perspectivas de desconstrução de conceitos existentes e para criar novas expectativas de vida, e, devido a sua excentricidade das misturas de raças, a Unilab permite uma noção básica de cada país pertencente à Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), como também, diante das oportunidades de diferentes disciplinas e cursos que visam desenvolver pesquisas nas diversas áreas de conhecimento, promover a integrar e o compartilhamento de tecnologias, conhecimentos e imergir com culturas diversas.

Orientações quanto aos programas, serviços e estrutura da universidade.

Comentários encerrados.