Estudantes da Unilab participam de capítulos de livro e realizam lançamento no próximo dia 5

Livro foi lançado pela editora CRV. Foto: Assecom/Unilab.

O livro Práticas Plurais em Educação, organizado por Eliseu Riscaroli, da Universidade Federal de Tocantins (UFT), conta com dois capítulos de estudantes da Unilab. Marlene José traz o capítulo “De São Tomé e Príncipe ao Brasil: uma perspectiva docente” e Sílvia Tatiana do Carmo, Ruberlania da Silva e Rejania Targino apresentam o escrito “Alguns contos de Machado de Assis em sala de aula: relatos de experiência”.

No próximo dia 5, as estudantes, junto com a professora Izabel Cristina dos Santos, realizam o lançamento do livro na Unilab, junto com a programação do I Fórum Permanente de Educação do município de Redenção. O fórum ocorre das 9h às 11h30 e das 14h às 14h, na sala 103, 1º andar do bloco C, Campus das Auroras. O lançamento está marcado para as 13h30.

Estudante do sexto semestre do curso de Letras-Português, a santomense Marlene José conta que a participação do livro foi resultado da disciplina “Literatura e Língua Portuguesa”. “Nessa disciplina, temos como hábito ler uma obra e, no final da leitura, fazer um debate na sala de aula. Surgiu a ideia de levar essas obras para a escola pública, porque nós também temos o estágio e vimos que nas disciplinas de literatura na escola os alunos não leem as obras em si, eles estudam apenas a historicidade”, explica.

Na escola José Saraiva Leão, bem próxima ao Campus da Liberdade, em Redenção/CE, as estudantes trabalharam obras do escritor brasileiro Machado de Assis. “O meu capítulo do livro é sobre essa experiência na escola pública. No meu caso, em particular, falei da minha trajetória, porque fui docente no meu país, então fiz praticamente uma comparação. Para mim, a prática é relevante, pois ela vai quebrando a homogeneidade – a ideia de que só há uma forma de ensinar – e ela mostra a diversidade no fazer docente”, afirma.

O livro, organizado por Eliseu Riscaroli, saiu pela editora CRV, em Curitiba, e tem contribuições de pesquisadores de todo o país. No sentido do que afirmou Marlene, a professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás (UFG), Diane Valdez, também ressaltou a diversidade de processos educativos. “Linhas com letras de mãos diversas se juntam nesse livro primoroso de se ler (e de se ver) para contar sobre lugares de aprender e de ensinar. Palavras que falam de processos educativos vividos, e praticados no lugar de dentro, na vizinhança, em quilômetros de distâncias e em terras de outros mares. Mulheres e homens nos contam sobre espaços que ensinam em lugares ocupados por gente que, apesar da palavra no singular, está longe de qualquer aspecto de homogeneidade”, escreveu a docente, para o prefácio da obra.

Alguns exemplares foram doados à Escola Saraiva Leão, onde ocorreram os debates com os estudantes.

Comentários encerrados.