Unilab é homenageada em sessão especial da Câmara Municipal de São Francisco do Conde

No mês da consciência negra, a Prefeitura Municipal de São Francisco do Conde/BA, por meio da Secretaria de Governo (Segov), e a Câmara Municipal local realizaram uma sessão especial em alusão ao Dia da Consciência Negra – 20 de novembro.

Com o tema “Quebrando Paradigmas”, o encontro foi realizado na tarde do último dia 19. Em meio à Casa Legislativa lotada de munícipes e da homenageada especial – a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), a sessão foi destacada pelo reconhecimento do compromisso da universidade com o ensino, pesquisa e extensão voltados à educação emancipatória, democrática e antirracista.

Grupo de dança da Unilab

Envolta pela participação cultural do Coral das Marisqueiras de São Francisco do Conde e de grupo de dança da Unilab, a sessão foi presidida pelo Secretário de Governo Eliezer de Santana e composta por diversas autoridades municipais, além de representantes da Unilab. Também foi um momento de “discussão sobre a questão racial a partir do local”, explicou Eliezer.

“Este é mais um dia para comemorarmos mais um evento que representa o fortalecimento do projeto audacioso de apenas 9 anos de idade da Unilab e que, apesar de muito nova, já conseguiu realizar grandes feitos na concretização de muitos sonhos, de muita gente no Brasil e nos países africanos”, introduziu a servidora da Unilab Adelmária Ione, que agradeceu o apoio e homenagem da prefeitura. “É uma universidade que nasceu com 5 cursos de graduação e, hoje, possui 22, nas várias áreas do conhecimento, e mais 9 cursos de pós-graduação, entre especializações e mestrados”, acrescentou a arquivista.

O projeto pedagógico da Unilab, a diversidade dos povos e o compromisso com a internacionalização e interiorização também foram ressaltados pela servidora. “Os números da Unilab parecem impressionar e, mais do que isso, parecem impactar a realidade social brasileira, especialmente nas regiões do Recôncavo Baiano e do Maciço do Baturité que, de modo geral, são carentes de instituições de ensino superior que possam promover o desenvolvimento regional local”.

Em seu pronunciamento, o representante do Diretório Central Estudantil (DCE) do Campus dos Malês, Anderson Carvalho, destacou que o 20 de novembro “suscita as questões sobre racismo, discriminação, igualdade social e de gênero, inclusão dos negros na sociedade e nas universidades”. E finalizou, “hoje, os africanos não vêm mais nos navios acorrentados. Eles vêm como estudantes, para fazer uma nova história”.

Pedro Leyva, diretor do Instituto de Humanidade e Letras do Campus dos Malês (IHL), estendeu a abordagem a outros personagens. “A luta de Zumbi dos Palmares não é só para o povo negro, é para todo o povo oprimido, para todos os povos. Esse dia da consciência negra é um dia em que nós, seremos humanos, encontramos para dizer não à violência, não à destruição, e sim a uma vida com dignidade, harmonia e respeito um ao outro”.

Pedro Leyva, diretor do IHL/Unilab

Ele, que na ocasião representou a Direção do Campus dos Malês, devolveu a homenagem ao povo franciscano e a todas as pessoas que se dedicaram a trazer à cidade um olhar científico sobre a consciência negra, através da Unilab.

Durante a sessão, a Unilab recebeu uma placa e a medalha “Professora Tânia Nascimento”, instituída pela Lei nº 257/2012.

Composição da Mesa

A Mesa da Sessão Especial foi composta pelo vice-prefeito de São Francisco do Conde, Carlos Alberto Bispo Cruz (Nem do Caípe), representando o prefeito local; os Secretários: Luciana (Secretaria de Direitos Humanos), Osman Ramos (Secretaria de Cultura) e Marivaldo do Amaral (Secretaria de Educação); a Tenente Edbarbara, representando o Comando da Polícia Militar da Região; a vice-presidente do Conselho de Igualdade Racial, Luciane Santos; e os representantes da Unilab: o vice-diretor do Campus dos Malês, Prof. Pedro Leyva, a servidora técnico-administrativo Adelmária Ione e o representante do DCE, Anderson Carvalho.

Comentários encerrados.