Live debate Base Nacional Comum Curricular e o Ensino Médio das reformas

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o ‘novo’ Ensino Médio: reformas arrogantes, indolentes e malévolas” é o tema de live nesta quinta-feira (28), às 19 horas, neste link. O evento conta com a professora Maria Luiza Sussekind como debatedora e com o professor Denilson Santos como mediador, sendo realizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares em Linguagem e Sociedade (Gepilis).

Maria Luiza Sussekind debate as reformas atuais da educação básica em revisita a tensões do campo, sob o argumento de que a ideia de um currículo escriturístico como projeto de nação é um modo de produção epistemicida. A pesquisadora parte da percepção de que o modo de conhecer moderno engendra também suas ignorâncias e aponta, em diálogo com as teorias de Boaventura Santos, que as reformas em curso se caracterizam por sua arrogância, indolência, chegando a ser malévolas.

Na direção do Sul epistemológico, Sussekind defende que o conhecimento curricular democrático é deslocamento, conversa e resistência ao pensamento único.

Sobre o Gepilis

O Grupo de Estudos, Extensão e Pesquisa Interdisciplinares em Linguagem e Sociedade (GEPILIS) desenvolve atividades de investigações científicas nas áreas de(as) linguagem(ns) e sociedade. A proposta do grupo é a de abordar a linguagem como um lugar de práticas socioculturais, ou seja, por meio de uma perspectiva inter(trasn)disciplinar, concebemos a linguagem como uma possibilidade abrangente, tradutora de culturas e de identidades. São, portanto, áreas de interesse do grupo em suas ações de pesquisa e de extensão: linguagens, culturas e identidades; formação de professores; ecologia de saberes; diversidade, diferença e desigualdade social; processos de ensino e de aprendizagem em uma perspectiva decolonial; políticas linguísticas; alfabetização e letramentos; entre outros.

Comentários encerrados.