Grupo Uniculturas realiza atividades culturais online

Durante o mês de junho, o Grupo Uniculturas, vinculado à Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex/Pibeac), realizou várias atividades culturais pautadas na integração e valorização das culturas africanas, a partir de seus diferentes eixos de trabalho.

Com o tema “Distantes, mas sempre conectados”, o Grupo coordenado pelo Prof. Leandro de Proença, vinculado ao Instituto de Humanidades (IH), teve o intuito de levar alegria, diversão e informações sobre assuntos relacionados ao mundo da cultura, para o público que se encontra em confinamento.

Confira na página do Grupo no Instagram.

As atividades foram desenvolvidas pelos grupos/eixos Afrisamé, Toques da banda, Kabaz di Terra e UbuntuDance.

Foto: Uniculturas

O Grupo Kabaz di Terra realizou apresentações de danças típicas de Guiné-Bissau (Djambadon e Balafon) e oficinas de tranças e culinária guineense. As atividades foram apresentadas pelas estudantes Janifer Fonseca, Murida Djedju e Jacemine Sambu.

Apresentação do Grupo Kabaz di Terra | Foto: Uniculturas

“No momento difícil que estamos passando, queremos levar para o público que está em casa um pouco da cultura de Guiné-Bissau, sendo este também o objetivo do nosso grupo”, explica Sambu.

Oficina de trança africana | Uniculturas

O Grupo de Teatro Afrisamé desenvolveu três debates com convidados/as da área. A primeira live, “Teatro como forma de manifestação cultural e intervenção social, jogos teatrais e suas vantagens para crescimento do ator”, contou com a participação do professor de teatro da Universidade Federal do Acre (UFAC) Flávio da Conceição; do bacharel em Artes Cênicas e dramaturgo Gil Novaes; do egresso da Unilab, mestrando da Universidade de Lisboa e representante do Grupo Uniculturas em Portugal Gislailson Cá; e do estudante do curso de Agronomia da Unilab Messias Eduardo.

A segunda live, “Igualdade de Gênero no Teatro”, contou com a participação de Karen Awane, mestra e facilitadora em Teatro Aplicado na Universidade de Londres. A terceira e última live teve como tema a dramaturgia. O convidado foi Victor Freitas, artista, multilingual, escritor, poeta e ator.

Aulas de zumba também foram realizadas, sob o comando do Grupo UbuntuDance e tendo como facilitador o aluno do curso de Sociologia e bolsista do Uniculturas Carlos Jeovane.

Já o Grupo Toques da banda promoveu uma live com breves descrições acerca das principais danças em Angola e na Diáspora, além de uma oficina de dois pratos típicos de Angola (calulu, feijão de óleo de palma e funge de milho).

Oficina de gastronomia angolana | Foto: Uniculturas

Para os organizadores das atividades, foi um momento de alegrar o público. “O Grupo Uniculturas sempre está motivado a incentivar a integração e levar aos estudantes um pouco das culturas dos países parceiros da Unilab. Neste momento difícil que estamos passando, não seria diferente. Cada eixo do Uniculturas desenvolveu atividades e continuará desenvolvendo ao longo dos meses”.

Todas as apresentações e entrevistas estão disponíveis na página do Grupo no Instagram.

Grupo Uniculturas

Fundado em 9 de março de 2017, o “Grupo Uniculturas: Unidos pela Integração” busca divulgar, valorizar e integrar as culturas dos países parceiros da Unilab: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Atualmente, mais de 130 membros integram o grupo, que tem as atividades pautadas em sete eixos temáticos: dança, desfile, teatro, poesia, música, palestra e minicurso.

Ao mesmo tempo, em consonância com as diretrizes da Unilab, o grupo objetiva aproximar a comunidade externa à universidade, por meio de apresentações culturais diversificadas, apresentando um lado pouco conhecido da África.

Outras informações pelo email: grupouniculturas@gmail.com.

Comentários encerrados.