Unilab participa de celebração do “2 de julho em defesa da ciência na Bahia”

As comemorações da Independência do Brasil na Bahia este ano tiveram um formato diferente. Diante do cenário pandêmico, a solução encontrada pela Academia de Ciências da Bahia (ACB) foi um cortejo virtual, realizado na última quinta-feira (2).

O tradicional trajeto em bairros do Centro Histórico de Salvador foi substituído por um encontro online, que reuniu diversas entidades federais e estaduais em defesa da valorização da ciência na Bahia – dentre elas, este presente o Campus dos Malês da Unilab.

A transmissão foi realizada no site do evento e continua disponível aos interessados. Clique aqui.

Localizado em São Francisco do Conde, o Campus dos Malês respira o Recôncavo Baiano, “território que foi tão importante para as lutas de independência do Brasil na Bahia e que é muito importante do ponto de vista da produção de saberes científicos, culturais e econômicos. Hoje é também um elo com a África lusófona, a partir da nossa universidade, que tem o princípio da cooperação entre os povos”, destacou a diretora do campus, Mírian Reis, em vídeo apresentado no evento.

“E não há princípio mais científico do que esse, o de pensar a promoção de justiça social e de democratização dos resultados que a ciência promove”, acrescentou a docente.

O cortejo virtual abordou questões como água e desenvolvimento sustentável, Ciências Básicas, desafios da economia em tempos de Covid e redução das desigualdades. Neste espaço, a Profa. Maria Cláudia Cardoso, vinculada ao Instituto de Humanidades e Letras do Malês (IHL/Unilab), expôs o tema “As desigualdades e o desafio de formar mulheres pesquisadoras”, em uma mesa compartilhada com a Profa. Amélia Tereza Santa Rosa (Uneb) e com o Prof. Aisamaque Gomes (IF Baiano). 

Os desafios e as conquistas das mulheres na ciência foram abordados pela Profa. Maria Claudia, que apresentou dados importantes ao diálogo: apenas 28% de pesquisadores do mundo são mulheres (Unesco, 2020) e as mulheres cientistas são apenas 14% da Academia Brasileira de Ciências.

O 2 de julho em defesa da ciência na Bahia teve a presença de nomes importantes ao debate, como o presidente da ACB, Jailson Andrade, o presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), João Carlos Salles, e a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia, Adélia Pinheiro.

Encerramento do evento | Foto: ACB

Com informações da Associação de Ciências da Bahia.

Comentários encerrados.