Semestre suplementar e assistência estudantil são tema de live do Unilab Plural

O Unilab Plural do último dia 10 conversou com a pró-reitora de Graduação da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Geranilde Costa, e com o pró-reitor de Políticas Afirmativas e Estudantis, James Ferreira. Na pauta, foram enfocados temas como semestre suplementar e assistência e permanência estudantil no contexto pandêmico.

Geranilde Costa explicou que o Grupo de Trabalho de Oferta de Disciplina propõe o semestre suplementar. A ideia será debatida ainda no Conselho Universitário (Consuni) e no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe).

A proposta é que o semestre suplementar tenha início em 19 de agosto, com duração de dois meses. Será por adesão voluntária e os discentes que não puderem aderir não sofrerão nenhuma consequência.

Durante o semestre suplementar, os institutos podem oferecer cursos, disciplinas optativas, oficinas, entre outras atividades. Os alunos entram em contato com o colegiado e manifestam interesse no calendário suplementar.

A pró-reitora afirmou que será enviado um e-mail a todos os estudantes para que se manifestem sobre o interesse em aderir ao semestre suplementar. “A matrícula fica ativa, mesmo que o discente não adira, e consta ‘sem adesão ao semestre suplementar’. O estudante não perde auxílios por não aderir ao semestre”, detalhou.

A medida contempla especialmente os estudantes concludentes. “Se tiver em condição de ser concludente, a coordenação do curso vai ter todo cuidado de ofertar disciplinas para que ele possa concluir a graduação”, disse Geranilde, informando ainda que haverá colações de grau on-line, como ocorreu com o curso de Enfermagem recentemente.

Outra situação importante a ser observada diz respeito aos estágios. “A coordenação do curso vai conversar com estudantes e averiguar se há condições seguras de irem até o local do estágio. Haverá cuidado e responsabilidade em fazer oferta, o estudante faz a opção se quer participar dessa disciplina e a coordenação vê as condições pra que isso ocorra. Prograd vai criar canal para essa comunicação”, ressaltou.

Importante frisar que o semestre suplementar não conta como semestre oficial. Semestre oficial na Unilab somente ocorrerá após o semestre suplementar, quando todos os discentes tiverem condições de participar – acesso à internet e equipamentos, por exemplo. “Faremos licitação para a compra de internet, com recursos federais, e com relação aos equipamentos para que a gente possa retomar o calendário oficial garantindo que todos os estudantes façam suas matrículas e finalizem o semestre. Não tomaremos nenhuma decisão negligenciando a condição dos estudantes”, afirmou a pró-reitora.

Assistência e permanência estudantil

Outro tema de grande interesse abordado na live, assistência e permanência estudantil foram tratadas pelo pró-reitor da Propae, James Ferreira.

James reforçou que as medidas nessa área durante a pandemia estão embasadas na portaria 243, da Reitoria da Unilab, lançada em 10 de junho, em que se estabelece que os auxílios são automaticamente renovados com a suspensão do calendário acadêmico, desde março deste ano. “A Propae vai lançar novo calendário de renovação do Programa de Assistência ao Estudante (Paes) quando estivermos retornando ao semestre oficial. Vamos ter um semestre suplementar, mas o semestre 2020.1 continua suspenso”, sublinhou.

Todo esse período que não tivemos aulas é como se não contasse no tempo de permanência. A ideia é que os estudantes fiquem tranquilos, que vão continuar recebendo os auxílios e esse tempo de permanência vai ser adicionado à frente”, tranquilizou.

O pró-reitor explicou ainda que o edital para inclusão de novos estudantes no Paes foi suspenso porque os pedidos de inclusão passam por avaliação de equipe técnica, que faz entrevistas. “Com a suspensão do calendário acadêmico e o trabalho remoto, a equipe não teve mais como fazer a avaliação socioeconômica com estudantes calouros”, disse.

James falou também sobre o problema de tecnologia da informação que causou atraso no pagamento dos auxílios. “A DTI (Diretoria de Tecnologia da Informação) teve problema no sistema de emissão das folhas de pagamento, que foi atualizado e agora a equipe não está conseguindo fazer o pagamento do processo. A folha envolve varias pró-reitorias, começa na Propae. O Nidae/Propae faz a conferência dos dados dos estudantes e tem apenas três servidores para cuidar de 1.900 auxílios regulares, além das ajudas de custo – 1.578 estudantes recebendo ajuda de custo de alimentação, mais os estudantes do Pró-Acolher, Observe, Ciadi. O processo é praticamente feito manualmente. Quando vai sair o auxilio? A DTI está trabalhando e deve sair até a próxima semana, mas se trata de um problema de tecnologia da informação”, informou.

Os estudantes perguntaram sobre o edital para indígenas e quilombolas e para pessoas trans. James respondeu que a intenção é retornar um programa mais amplo para as populações citadas, incluindo também populações ciganas, filhos de agricultores do Maciço de Baturité, entre outras populações que historicamente tiveram acesso negado ao ensino superior. “A ideia é retornar/criar coordenação de Direitos Humanos, que vai ser responsável por planejar um programa de ações afirmativas. Seria no segundo semestre, em amplo diálogo com comunidade acadêmica e movimentos sociais. de amplo diálogo. Também queremos reativar o Núcleo de Gênero e Sexualidade”, anunciou.

Outras dúvidas giraram em torno do Programa de Bolsa Permanência (PBP), ao que James respondeu que se trata de uma via direta entre MEC e estudante, não tendo ingerência da Unilab. Sendo assim, a universidade não sabe quando haverá novas inserções no PBP. Ressalte-se que há 241 estudantes da Unilab indígenas e quilombolas inseridos no Programa Bolsa Permanência.

Unilab Plural

O Unilab Plural é uma iniciativa do GT de Comunicação Social das Ações de Enfrentamento ao Covid-19 na Unilab (GTConvida), criado pelo Ciec, e ocorre sempre às sextas-feiras, às 16 horas, em live na conta do Instagram @unilab.oficial, com transmissão para o Facebook.

Comentários encerrados.