Unilab disponibiliza novo canal de Transparência e Prestação de Contas

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab), estando a frente a Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan), com o apoio da Superintendência de Gestão de Pessoas (SGP), Corregedoria, Ouvidoria, Auditoria e da Comissão de Ética, abre mais um espaço de interação com a comunidade acadêmica e externa, disponibilizando nova aba na página principal do Portal da Unilab, buscando concentrar as informações dos documentos oficiais, de transparência pública e prestação de contas, produzidos pelas equipes dos setores especializados da instituição.
 
Segundo o economista e pró-reitor da Proplan, Antônio Célio dos Santos, com o objetivo de melhorar o acesso aos dados públicos gerados pela nossa universidade, a Unilab cria este novo espaço, denominado Transparência e Prestação de Contas, concentrando as informações oficiais da instituição neste contexto.
 
Sabendo que “É direito de todo o cidadão ter acesso”, conforme a Lei da Informação, a Unilab tem o compromisso de publicar seus documentos oficiais e deixá-los disponíveis ao público na plataforma digital, dentro do Portal. Por isso, explica o pró-reitor: “Buscamos unir todas as informações em um único lugar. Apesar de publicados, alguns órgãos e instituições, além da própria comunidade interna e externa, estavam sentindo dificuldades em ter acesso rápido”.
 
Primeira Fase
 
Nesta primeira fase, tem início o trabalho de inserção dos documentos eletrônicos, além do Estatuto da Unilab, o Regimento Geral, o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), outros documentos e normativos importantes criados pela Proplan, SGP, Ouvidoria, Corregedoria, Auditoria e Comissão de Ética. Posteriormente, serão acrescentadas informações de outros setores da universidade.
 
Quanto à Transparência Ativa, o corregedor federal, que atua junto à Unilab, Alain Souto Rémy, defende que a implantação deste novo espaço interativo “deva ser a máxima possível e estendida, o quanto antes, às áreas-fim (acadêmicas) e às áreas-meio (demais áreas administrativas, não ligadas às funções de integridade)”, afirmou o corregedor Rémy.

Comentários encerrados.