Unilab inicia a distribuição dos 3.844 chips de dados móveis da primeira lista do projeto Alunos Conectados

Iniciou nesta terça-feira (12) a distribuição dos chips de dados móveis para estudantes da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) no Ceará. A entrega, no Campus da Liberdade, município de Redenção, prossegue até a próxima segunda-feira (18) e é organizada conforme lista de chamada, com horários programados no intuito de evitar aglomerações. Do total de 3.844 chips destinados à primeira lista de estudantes contemplados, 860 pertencem aos estudantes da Unilab no estado da Bahia (Campus dos Malês) e terão seu calendário de distribuição divulgado até o início da próxima semana. 

“Estava organizado e foi fácil. Só assinar e mostrar o documento”, relata Ailton dos Santos, estudante da graduação em Engenharia de Energias e um dos primeiros chamados da lista por ordem alfabética. Habitante do município de Baturité, Ailton relata que teve dificuldades em acompanhar o lançamento dos conteúdos on-line do Plex devido à falta de acesso à internet, mas que tem perspectivas de mais tranquilidade a partir de agora. O chip recebido já vem cadastrado no CPF e na área de moradia do contemplado, seguindo as informações atualizadas pelo próprio estudante no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa). 

Ailton dos Santos, estudante da graduação em Engenharia de Energias, assina o recebimento do chip de dados móveis

Regiões atendidas 

Os quase 4 mil estudantes contemplados pela primeira lista encontram-se espalhados em cerca de 77 municípios de regiões diversas do Brasil – não só nos estados do Ceará e da Bahia, sedes dos campi da Unilab. Por esse motivo, variam as operadoras responsáveis pela prestação do serviço de internet móvel. Mesmo moradores de regiões distantes dos núcleos urbanos, como habitantes de comunidades indígenas ou quilombolas, poderão utilizar os dados. 

A diversidade de municípios atendidos também é fruto dos deslocamentos realizados para adaptação ao isolamento social. É o caso de Adamite Gomes, estudante guineense do bacharelado em Humanidades. Ex-moradora de Redenção, ela realizou a mudança no início da pandemia. “Precisei ir pra Fortaleza, não teve jeito”, relata. Com os dados residenciais atualizados no sistema, Adamite poderá usar o chip na capital do Ceará sem maiores dificuldades. 

Capacidade dos chips

Após o recebimento, o estudante contemplado deve aguardar que o chip receba a primeira carga dos dados, função executada pela Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) da Unilab junto à Rede Nacional de Pesquisa (RNP). Segundo Giancarlo Cardoso Vecchia, diretor de tecnologia da informação, essa atividade deve ser desempenhada no prazo de até uma semana a partir da entrega. “É um trabalho que não pára, e a gente deve fazer isso até o último aluno receber o chip”, informa. 

Os chips concedidos aos estudantes da Unilab receberão recarga automática mensal de 20Gb por mês – capacidade máxima concedida pela RNP. A DTI reforça, para todos os estudantes, a importância de manter atualizadas as informações pessoais na base de dados do Sigaa. 

Os 3.844 chips fazem parte da primeira lista. Em breve, mais estudantes devem ser beneficiados.

Projeto Alunos Conectados na Unilab

A distribuição dos chips é fruto da adesão da Unilab ao Projeto Alunos(as) Conectados(as), da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e com a Secretaria de Ensino Superior (SESu). 

Segundo James Ferreira, pró-reitor de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae) da Unilab, cerca de 30 servidores da universidade estão diretamente envolvidos no processo que culmina com a efetiva distribuição dos dispositivos. Além da Propae, a Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI), a Pró-Reitoria de Administração (Proad), a Diretoria do Campus dos Malês e a Secretaria de Comunicação Institucional (Secom) deslocaram força de trabalho para promover o diálogo com a RNP, a aquisição do material, a divulgação do projeto e a distribuição dos chips. Participam também desta empreitada o Comitê Institucional de Enfrentamento ao Coronavírus (CIEC) e a Reitoria. 

Cerca de 30 servidores de vários setores da Unilab estão envolvidos no processo de aquisição e distribuição dos chips de dados móveis.

Proposta de universalização dos dados móveis

James Ferreira explica que a primeira lista de estudantes contemplados remete a “grupos prioritários”, mas que a quantidade de beneficiados deve ser expandida em breve. “As universidades enviaram (para a RNP) uma lista com estudantes considerados mais vulneráveis socioeconomicamente falando (…). Identificamos cerca de 4 mil estudantes que estariam dentro dos critérios para essa primeira fase do projeto. Mas é importante salientar que a proposta da Universidade é de universalização dos dados móveis”. O projeto prossegue até o final do semestre, mas a perspectiva da administração superior da universidade é torná-lo uma política permanente. 

Estudantes interessados no benefício dos dados móveis e que não tiveram seus nomes divulgados nesta primeira fase podem enviar e-mail para o atendimentopropae@unilab.edu.br informando nome, número de telefone, cidade e matrícula.

A entrega dos chips nos campi do Ceará e da Bahia ainda deve prosseguir nas próximas semanas, em atendimento àqueles que não puderam se deslocar até a universidade na primeira data agendada.

Leia mais:

Unilab inicia entrega de chips a discentes no próximo dia 12/1

Comentários encerrados.