Egressos da Unilab promovem desenvolvimento nos Países Africanos de Língua Portuguesa

Membros do PAD-PALOP durante aprovação do estatuto da instituição.

O Programa de Apoio para Desenvolvimento dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PAD-PALOP) é uma organização da sociedade civil (OSC) e composto por uma rede multidisciplinar de profissionais, pesquisadores, acadêmicos e estudantes, com foco na energia sustentável, mudanças climáticas e agricultura e educação. O PAD-PALOP atua somente nos países africanos de língua portuguesa: Angola, Cabo Verde, Moçambique, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe.

O angolano e egresso da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Cláudio Cambambi, concluiu o curso de Engenharia de Energias e decidiu fundar o PAD-PALOP. No total, a organização tem 11 fundadores, oito dois quais egressos da Unilab, de variados cursos e países.

“O PAD-PALOP é praticamente fruto da Unilab. Minha formação me ajudou bastante a idealizar e fundar o programa. Durante minha graduação, desenvolvi estudos hidroclimatológicos para as principais bacias para oferta hídrica do estado do Ceará que, inclusive, rendeu-me um trabalho de conclusão de curso na Unilab”, conta.

Fundadores do PAD-PALOP.

A partir da pesquisa sobre identificação e caracterização de secas meteorológicas e hidrológicas no Ceará/Brasil, Cláudio pôde contribuir com o seu país, Angola, que também sofre com secas. “Angola enfrenta pelo menos três problemas  ( baixa taxa de eletrificação, fome e secas).  Foi a partir disso que comecei a idealizar o PAD-PALOP. Um programa para mitigar os problemas que assolam o meu país. Depois me lembrei que esses “problemas” não são somente enfrentados por Angola, mas sim por muitos países no mundo inteiro, com maior incidência nos países africanos”, disse.

Formou-se, então, uma rede de contatos entre egressos da Unilab, de cursos variados, que decidiram fundar o PAD-PALOP. “Esse contato foi facilitado pela vivência que tive na unilab. tive a oportunidade de conhecer pessoas de vários países e cursos. Decidi chamar colegas de todas as nacionalidades e cursos. Lógico, muitos deles já eram meus amigos. Também tive a felicidade de contatar alguns professores da Unilab – Sérgio Servilha, Sabi Iari Bandiri e fomos prontamente abraçados pela Prointer, representada pela professora Artemisa e pelo Pedro, que sempre nos dá o apoio jurídico”, informa. 

Objetivos da instituição

O PAD-PALOP visa promover a sustentabilidade socioambiental dos PALOP, através de iniciativas colaborativas de estudantes, profissionais e pesquisadores em questões relacionadas à energia, clima e agricultura, tendo por finalidade o fortalecimento dos direitos humanos, propondo modelos alternativos de desenvolvimento por meio de práticas inovadoras e participação popular. Entre as atividades desenvolvidas estão:

– Apoiar estudantes de universidades nos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) e pesquisadores internacionais interessados em conduzir pesquisas sobre vários tópicos de energia sustentável, mudanças climáticas e agricultura.

– Promover capacitação dos pesquisadores das universidades e instituições dos PALOP através de intercâmbio entre pesquisadores africanos e pesquisadores de diversas instituições internacionais.

– Fornecer programa de capacitação aos agricultores, orientação técnica e oportunidades de treinamento para criar uma cadeia de valor que aumenta os rendimentos e aumenta a renda dos pequenos agricultores.

– Desenvolver sistemas de conexão entre agricultores e consumidores dos PALOP.

– Desenvolver e implementar projetos com o objetivo de aumentar a eletrificação e mitigar a fome e a seca nos PALOP.

– Conduzir programas de esclarecimento e advocacia aos agricultores.

Veja mais no site do PAD-PALOP.

Comentários encerrados.