“Neste 25 de março de 2021, um novo capítulo é escrito na história de Redenção e da Unilab”

Um momento simbólico e marcante. Sim, o dia 25 de março de 1884 representa um marco histórico. Cercado com esperança preveniente, o grande evento marcou a libertação de corpos negros. Tudo ocorreu em frente à igreja Matriz, na Vila do Acarape, atual município de Redenção, ocasião em que foram entregues, na presença de José do Patrocínio e uma dezena de abolicionistas, cartas de alforria às 116 pessoas escravizadas ali existentes A província do Ceará deste modo, se antecipou em quatro anos à abolição da escravatura em todo o Brasil, que aconteceu somente em 13 de maio de 1888, com a assinatura da Lei Áurea.

Dentre vários personagens que se engajaram nesta luta, gostaria de destacar um, Francisco José do Nascimento, também conhecido como Dragão do Mar ou Chico da Matilde. De ato simbólico a uma fábrica de esperança, o ato de libertação atraiu figuras de todo o país. Posso imaginar a notícia correndo pelas diversas regiões. Será que outros alcançarão essas mesmas boas novas? Será que a redenção haverá de se espalhar? Sim, quatro anos depois, com a Lei Áurea, inicia-se um processo duradouro de emancipação.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) foi escolhida para ocupar esse espaço de forma consciente. Em parte pelo clamor de movimentos sociais, mas muito mais por uma política de estado, na qual o Brasil haveria de protagonizar ao trazer de volta doutores e alunos para contribuírem com a transformação de uma cultura entranhada e ainda com muitos aspectos a se corrigir mundialmente. Esse espaço é Redenção, a primeira cidade no país a decretar o fim da escravidão.

Criada pela Lei nº 12.289, de 20 de julho de 2010, e instalada em 25 de maio de 2011. O alcance da Unilab não pode mais ser comensurado. Aqui em Redenção, o mundo se encontra pelo ensino, pela pesquisa, pela extensão, pela inovação. Como em um sonho, o evento simbólico se transporta para São Francisco do Conde, no Recôncavo Baiano, em um Campus que se engaja nessa correção histórica. Na Unilab, brasileiros, timorenses e africanos se juntam na internacionalização, integração e interiorização. Certo de nossa missão institucional, vislumbramos nesta data um futuro ainda cheio de esperança e com muitas barreiras suplantadas.

Neste 25 de março de 2021, um novo capítulo é escrito na história de Redenção e da Unilab, o último reitor pro tempore está encerrando 12 meses de gestão e dará lugar ao reitor eleito pela comunidade. Nosso sincero desejo é que esta data simbólica e cheia de esperança continue sendo um fator motivador de vidas transformadas pela educação. Salve 25 de março! Salve Redenção! Salve Ceará! Salve Unilab!

Prof. Roque do Nascimento Albuquerque

Reitor da Unilab

Comentários encerrados.