Projeto CineMalês tem obra selecionada para 13ª edição do Festival Entretodos

O Projeto Cinemalês foi destaque em 2020, com a seleção do curta-metragem “Nigiro: Meu nome, minha ancestralidade”, produzido e protagonizado por estudantes da Unilab, do Campus do Malês/BA, que será exibido na 13ª edição do Festival Entretodos, no período de 13 a 19 de setembro, na plataforma digital.

O curta “Nigiro: Meu nome, minha ancestralidade” é tema da obra que compõe a Mostra Juventude, uma competição paralela que será premiada por um júri especial, composto integralmente por educadores.

Na próxima quinta-feira (dia 17), a partir das 15h, o diretor do filme Assaggi Piá vai participar de uma live no Instagram do festival (@festivalentretodos) para contar um pouco mais sobre o filme e sua trajetória, conversando com um dos mediadores da equipe do Entretodos.

Esse ano a 13ª edição do Festival terá sua programação na plataforma digital, de modo que as exibições ocorrerão no site do Festival e em plataformas parceiras, aberto ao público, possibilitando assistir o filme do projeto.

Sobre o curta-metragem

Além da participação dos estudantes da Bahia, a obra foi roteirizada e dirigida por Assaggi Piá, com a produção de Rodrigo Mends que também assinou a direção de arte; a direção de fotografia e áudio ficou por conta de Verônica Freitas, a arte do filme ficou por conta de Amanda Oliveira, a pesquisa e roteiro foi realizada por Ntu, também entrevistado no filme, ao lado de Malego Lalá, Kialunda Sozinho e Adelso Wakay.

A ideia central do documentário é trocar ideias sobre as questões de nomeação das pessoas negras e indígenas, os caminhos percorridos e a percorrer na autonomeação, os sentidos e significados dos nomes para cada pessoa e suas comunidades.

Outras informações pelo email (mostra.mosc@gmail.com) ou mídias digitais: Facebook e Instagram do Projeto CineMalês.

Comentários encerrados.