Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Comitiva do Timor-Leste recebe apoio de universidades Brasileiras

Data de publicação  16/04/2011, 00:00
Postagem Atualizada há 10 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

Reunidos na Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza, a comitiva da Universidade Nacional de Timor-Leste (UNTL) teve a oportunidade de conhecer a proposta da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). Depois de uma rápida apresentação feita pelo reitor Paulo Speller, da nova federal, ele falou das parcerias que estão em pleno crescimento e expansão com diferentes países, inclusive das visitas que já realizou naquele país e relembrou a assinatura do Protocolo de Cooperação em áreas educacionais, realizada, em conjunto com ministro da educação do Timor, Doutor João Câncio Freitas, no Brasil, durante a visita do primeiro-ministro do Timor-Leste Xanana Gusmão.Foram dois dias de muitas discussões acadêmicas, e resultados positivos, tanto para as universidades brasileiras como para a UNTL. Entre outras parcerias a equipe da Unilab, articulará um programa de língua portuguesa.
Conhecida como língua co-oficial, no Timor-Leste, a portuguesa, a partir de 2012, ganha novo espaço na Universidade Nacional de Timor-Leste (UNTL), anunciou o professor Francisco Miguel Martins, pró-reitor de pesquisa da instituição. “A língua portuguesa é uma língua de reintrodução em nosso país e se tornou co-oficial. Em 2012, os alunos, não terão mais o inglês, como ingresso na UNTL. Nossa política institucional acadêmica é formar professores, intensivamente, durante esse meio de ano, para corresponder à realidade em 2012. Utilizaremos a língua portuguesa, na universidade, como língua de instrução acadêmica”. A língua oficial no Timor é o Tétum.

E, é claro, que atualmente, passar por Fortaleza, inclui uma visita à sede da Unilab, localizada na cidade de Redenção, a 57 km da Capital, onde a comitiva se reuniu, com mais três representantes de outras universidades brasileiras, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), representada pelo professor José Antonio Bellini, diretor e pela professora Suzani Cassiani do Departamento de Metodologia de Ensino do Centro de Educação, e a Universidade Federal da Bahia (UFBA), pelo professor Robert Verhine, pró-reitor de pós-graduação, no sábado, 16, que unidas à Unilab, possibilitarão a conclusão dos trabalhos.

O sorriso no rosto de cada um, ao conhecerem o Campus da Liberdade, da Unilab, que será inaugurado no dia 25 de maio, não escondia o entusiasmo pelas novas ideias e parcerias futuras entre a UNTL, Unilab, UFSC, UFBA, UFC e outras instituições de ensino superior brasileiras, que se formaram a partir desse encontro.

Elogiada pelo representante da UFBA, por apresentar a Unilab com tanta perspectiva, a professora Stela Meneghel, pró-reitora de pesquisa, pós-graduação e extensão, que também já esteve no Timor-Leste, e conheceu a realidade daquele país, avaliou a visita de forma pratica e positiva. “É extremamente positiva, não só do ponto de vista da visita e das parcerias que foram acertadas com a UNTL, mas também das parcerias que se estabeleceram com a UFBA e a UFSC, além da UFC, que é nossa parceria privilegiada em termos da construção de programas de pesquisa e pós-graduação com Timor”. Essa parceria significa também, “cooperação entre instituições brasileiras com outros países de língua portuguesa”, completou.

Uma das instituições participantes, que aliás, é parceira privilegiada da Unilab, a UFC, também marcou presença no encontro, representada pela professora Socorro Claudia Tavares de Sousa, que atualmente integra a equipe da Unilab.

Na visão do professor Robert Verhine, pró-reitor de graduação da UFBA, mais do que a parceria com o Timor-Leste, fundamental nesse processo, é fazer uma parceria entre as universidades brasileiras. “Entendemos que não é apenas fazer uma parceria com Timor, mas também entre nossas universidades, no sentido de colaborar à medida que estamos ajudando aquele país. A gente tem clareza, nossas três universidades têm algo para contribuir.” A professora Suzani, há dois anos, envolvida na questão do mestrado em Educação Científica e Tecnológica no Timor, concorda e complementa. ”Entendo que a Unilab precisa também de nossas parcerias, e o que a gente puder colaborar, creio que vai ser muito interessante para todo mundo, para o Timor, para o Brasil, para todas as universidades”.

Como resultado da visita, eles levam para os futuros alunos timorenses, a certeza da colaboração das três universidades brasileiras, na criação de três mestrados, sendo eles: mestrado de ensino de ciências e tecnologia, de política de gestão e avaliação educacional e de ensino de língua portuguesa. A ideia é que a nomeação do título de mestre seja feita pela própria UNTL, as brasileiras, apenas darão consultoria e apoio, como envio de professores ao Timor, para fortalecer e formar recursos humanos capazes de reproduzir o ensino na região.

As universidades trabalharão em conjunto, por exemplo, para o mestrado de educação de política de gestão e avaliação, a UFSC liderará o apoio na área de gestão e políticas e a UFBA liderará o apoio na área de avaliação educacional. Serão trabalhadas duas linhas dentro do mesmo mestrado. Já a Unilab articulará um programa de língua portuguesa, com o apoio da UFC, além disso, poderá colaborar em outros programas sob a coordenação das outras instituições, e vice-versa.

A missão da comitiva, segundo o professor Martins, foi cumprida. Entusiasmado, durante a entrevista, ele reafirmou o compromisso com a Unilab, destacando as parcerias que conquistou. “Nossa visita aqui no Brasil, nas quatro universidades, foi muito positiva, e o acolhimento, muito caloroso, em termos de discussão produtiva acadêmica. Nosso objetivo, uma parceria de cooperação, no processo de implantar e institucionalizar o programa de mestrado e doutorado, da nossa universidade. Até conseguimos uma conclusão da viabilidade e disponibilidade dos parceiros das quatro universidades, UFBA, Universidade Católica do Salvador (UCSal), UFSC e Unilab, no processo de desenho curricular”.


O encontro incluiu também uma visita ao Mosteiro dos Jesuítas, em Baturité, onde fizeram um brinde à parceria. Nesse local serão realizados os cursos de pós-graduação da Unilab. Antes disso, eles fizeram questão de tirar uma foto em frente ao monumento, que simboliza a libertação dos escravos, e localiza-se em frente ao Campus da Unilab.

Participaram da comitiva da UNTL, a professora Ligia Tomás Correia, pró-reitora dos Assuntos da Cooperação Internacional, professora Rosemeire de Souza Freitas, Assessora da pós-graduação e José Carlos de Amaral Araujo, chefe de Gabinete da Reitoria.

Para o meio do ano, eles esperam ainda, aumentar o número de estudantes timorenses na Unilab.


Ir para p

Categoria