Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Alunos visitam Fazenda Experimental da Unilab

Por
Data de publicação  31/07/2012, 18:51
Postagem Atualizada há 9 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

Os alunos visitaram a Fazenda Experimental em Redenção

Alunos de Graduação da Unilab e de pós-graduação da UFC da área de Agronomia visitaram, na tarde desta terça-feira (31), o Sítio Vale do Piancó, sede da Fazenda Experimental da Unilab. O terreno, de 33,5 hectares, está localizado em Piroás, no distrito de Barra Nova, em Redenção, e será local de desenvolvimento de diversos experimentos de pesquisa. O grupo foi acompanhado pela coordenadora do curso de Agronomia da Unilab, Albanise Marinho, pelo professor Max César de Araújo, e pelo professor da UFC Thales Vinícius de Araújo.

Professores Thales, Albanise e Max orientam os alunos sobre os projetos

A professora Albanise Marinho explica que um dos objetivos da visita é estimular os alunos a desenvolver projetos de pesquisa que possam ser executados na Fazenda Experimental. “Queremos mostrar a realidade local para que eles possam trabalhar projetos de pesquisa nesse espaço”, explica. O professor da UFC Thales Vinícius de Araújo explica que a intenção é que as pesquisas também sejam realizadas no âmbito da pós-graduação. “Queremos firmar essa parceria com a Unilab para induzir os alunos a propor experimentos aqui em Redenção. Por isso, trouxe aqui alunos do mestrado em Agronomia”, diz.

Um dos projetos de pesquisa prevê o reaproveitamento dos resíduos da floricultura para a fabricação de papel

Um projeto que já foi formatado para ser desenvolvido na área é o do professor Max César de Araújo. A proposta é estudar formas de aproveitamento dos resíduos da floricultura tropical para a fabricação de papel. “Atualmente, esses resíduos são aproveitados como adubo verde, mas vamos estudar como ele pode ser usado na fabricação de papeis, o que vai agregar valor e gerar renda para o produtor”, explica. O projeto foi proposto na chamada universal do CNPq 2012. “Se ele não for aprovado, tentaremos outras formas de financiamento”, diz o professor.

O grupo aproveitou para conferir os locais em que o cultivo do morango ficará melhor adaptado

A professora Albanise Marinho explica que como Fazenda Experimental da Unilab, além da produção de flores tropicais, outras culturas e atividades devem ser desenvolvidas na área a partir das propostas de pesquisa. Um deles é um projeto já desenvolvido pelo professor da UFC Thales Vinícius de produção de morango, financiado pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB). Na primeira fase, foram plantadas duas variedades da fruta, oso grande e verão, no Campus do Pici da UFC em Fortaleza.

Alunos de graduação da Unilab e de pós-graduação da UFC conheceram parte do sítio em Redenção

Segundo Albanise, a proposta é introduzir a variedade que mais se adaptou na Fazenda Experimental. “Em Redenção, vamos testar dois ambientes a céu aberto e a técnica de resfriamento com diferentes estufas biofertilizadas”, explica. Durante a visita, o grupo pôde conferir em quais terrenos a cultura do morango poderá se adaptar melhor.

Michele Holanda acompanhou a produção das flores tropicais na Fazenda Experimental

Para a aluna do curso de Agronomia da Unilab, Michele Holanda de Almeida, desenvolver projetos de pesquisa na Fazenda Experimental é um diferencial principalmente para os alunos de graduação. Como conteúdo da disciplina de Práticas Agrícolas III, ministrada pelo professor Max César de Araújo, ela teve a oportunidade de acompanhar no local a produção das flores tropicais em todas as suas etapas. “A experiência colocando logo a mão na terra capacita melhor o aluno e fornece a ele elementos para conhecer melhor a profissão”, avalia.

O professor Max César destaca o papel educador da Fazenda Experimental

O professor Max César concorda que inserir o aluno logo no primeiro ano do curso de Agronomia na Fazenda Experimental dá a ele uma base sólida no ensino. “O que os alunos vão ver lá na frente do curso, o nosso aluno já viu e, com isso, ele aprofunda o seu conhecimento e estará melhor preparado quando for cursar as disciplinas mais específicas”, diz.

 

 

Categoria