Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Programa de EAD em Moçambique é discutido na Unilab

Data de publicação  21/08/2012, 11:37
Postagem Atualizada há 6 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

Oreste Presti participou de conversa sobre educação a distância no Brasil e em Moçambique

O coordenador do Programa de Expansão da Educação Superior a Distância na República de Moçambique, Oreste Presti, esteve nesta terça-feira (21) na Unilab para conhecer o espaço e participar de uma conversa com servidores sobre o programa e ações ligadas ao ensino de educação a distância. Oreste Presti foi recebido pela equipe da Coordenação Educação Aberta e a Distância (Cead) da Unilab.

O programa oferece cursos de graduação em Administração Pública, Biologia, Ensino Básico e Matemática para professores de escolas públicas e gestores públicos em Moçambique. Os cursos funcionam no modelo adotado pela Universidade Aberta do Brasil (UaB), com adaptações às necessidades do país africano. Atualmente, há 690 alunos matriculados nos cursos iniciados em 2011.

Oreste Presti

Com a integração da Unilab no Comitê Gestor da UaB em Moçambique, o coordenador Oreste Presti espera a expansão do programa. “A entrada da Unilab no Comitê é fundamental e muito esperada tanto na condução pedagógica como para a visibilidade das ações do programa. Esperamos que, até o final de 2013, tenhamos 7 mil estudantes”, disse o coordenador. E ele ainda destacou: “com a participação da universidade, todos ganham e a Unilab cumpre o seu papel na cooperação internacional”.

As aulas são ministradas em parceria entre quatro instituições brasileiras (Universidade Federal de Juiz de Fora, Universidade Federal de Goiás, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e Universidade Federal Fluminense) e duas instituições moçambicanas (Universidade Eduardo Mondlane e Universidade Pedagógica). De acordo com Oreste, o programa está sendo construído de forma coletiva. “É preciso conhecer a cultura local. Embora a língua seja a mesma, o contexto histórico, social e político são distintos do Brasil”, enfatizou.

Coordenadora da Cead, professora Cida

Segundo a coordenadora da Cead, Maria Aparecida da Silva, a vinda do professor Oreste Presti a Unilab vai auxiliar a pensar com mais cuidado a EAD na universidade. “Essa conversa também vai ajudar a entender melhor o processo de internacionalização da educação a distância já que mora em Moçambique e conhece os costumes e hábitos da população. Então, será uma forma de auxiliar a planejar e executar ações nesse país, além de compreender melhor como funciona a UaB em Moçambique”, disse a coordenadora.

Categorias