Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Projeto de Extensão Clube da Inclusão Escolar é lançado na escola indígena Manoel Francisco dos Santos, em Aratuba (CE)

Data de publicação  26/08/2022, 14:26
Postagem Atualizada há 1 mês
Saltar para o conteúdo da postagem

No último  sábado (27/08),  na escola indígena Manoel Francisco dos Santos, em Aratuba (CE), aconteceu o lançamento do Clube da Inclusão Escolar – projeto de extensão da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), que visa à formação de docentes de escolas indígenas e quilombolas da Educação Básica do Maciço do Baturité, com vistas à Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. O evento terá a presença de representantes da reitoria da Unilab, da coordenação do projeto e de cerca de 170 docentes inscritos no evento de lançamento e que, também, vão participar da formação do projeto.

O Clube da Inclusão Escolar é coordenado pela docente da Unilab Geranilde Costa e Silva, tem a vice-coordenação do servidor da Unilab Samuel Oliveira e conta, ainda, com a participação de 3 estudantes bolsistas da universidade. O projeto é patrocinado pela Confederação Nacional dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (Conafer) e tem apoio das prefeituras de Baturité e Aratuba.

>Confira aqui o vídeo sobre o lançamento do Clube da Inclusão Escolar.

Inclusão escolar

O Clube de Inclusão Escolar tem como objetivo, ainda, contribuir para o processo interiorização da Unilab, no âmbito do Maciço do Baturité (CE), bem como para o fortalecimento do Estatuto da Pessoa com Deficiência, Lei Brasileira da Inclusão (Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015) e as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica (Resolução nº 2, de 11 de setembro de 2001). Também visa contribuir para o processo de compreensão sobre a educação especial na perspectiva da educação inclusiva, com foco no ensino- aprendizagem, além de capacitar docentes, da educação básica de escolas indígenas e quilombolas do Maciço do Baturité, quanto ao Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Segundo o reitor Roque Albuquerque, o Clube da Inclusão Escolar nasce a partir de conversa com liderança indígena Carlos Lopes, presidente da Conafer – parceiro da Unilab na realização do projeto -, com o questionamento sobre como impactar e contribuir na educação do Maciço do Baturité e do povo indígena. Nesse sentido, surge a iniciativa, que será desenvolvida, no período de 10 meses, na escola indígena Manoel Francisco dos Santos, em Aratuba (CE), e na escola de Ensino Fundamental Osório Julião, localizada na área de remanescente quilombola Serra do Evaristo, em Baturité (CE). “A Unilab sai da redoma e entra no interior para poder usar o que tem de melhor, que é o seu vetor de transformação: a educação”, afirma Albuquerque.

Segundo a vice-reitora Cláudia Carioca, a ideia é que essa iniciativa possa expandir e impactar outros espaços e grupos envolvidos no processo de educação. “Nossa intenção, ao longo desses dez meses de execução do projeto na cidade de Baturité, na escola quilombola, em Baturité, e na cidade de Aratuba, onde vai acontecer o lançamento, é que essas duas cidades sirvam como [sedes de] um projeto piloto, pra que a gente possa levar o projeto [Clube da Inclusão Escolar] a outras cidades do Maciço do Baturité”, afirma.

Para a coordenadora do projeto, Geranilde Costa e Silva, a expectativa é que “o projeto possa atender cada vez mais com qualidade os alunos com necessidades educativas especiais e que também têm indício de transtorno do espectro autista”, aponta. O Clube da Inclusão escolar visa não só capacitar docentes, como também contribuir com o processo de formação e reflexão de pais, mães e/ou responsáveis por estudantes diagnosticadas com Necessidades Educativas Especiais (NEE) e Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Categoria
Palavras-chave

CONTEÚDO RELACIONADO