Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Estudantes afirmam: “Vai depender da gente, construir essa universidade”

Data de publicação  19/05/2011, 00:00
Postagem Atualizada há 10 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

Yasmim, Hudson, Nayara, Ranieli, Eduardo, Leidiani, Anderson, Marcolina, Afrânio, Adriana, Jonarta, Raveli e Janay… São todos estudantes que participaram de um bate papo com nossa equipe de reportagem. Descontração e ansiedade marcaram o encontro na sede da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) em Redenção.

Eles vão iniciar os estudos de graduação na Universidade nos cursos de Administração e Enfermagem e já sentem na pela a responsabilidade de ser a primeira turma. “Vai depender da gente, construir essa universidade”, afirmou Adriana, e a amiga Raveli completou: “as chances para nós foram muitas, porque vamos ficar para a história da Unilab”. E por que não a opinião de todos? “O mais importante é que somos a primeira turma”, reforçaram.

Dizem que nem sonhavam com a faculdade, que dirá então com uma Universidade. 14 alunos, quatorze frases e adjetivos que traduzem os sentimentos pela oportunidade: “Há coisas que a gente só sente, não explica; ansiedade; expectativa; alívio por começar; chance; conquista; sonho que vira realidade; aprendizado; felicidade imensa; não tenho palavras; expectativa singular; vitória conquistada; um mix de tudo.”

Durante o bate-papo surgiram lembranças das dificuldades que tiveram para chegar à universidade. “Transportes de má qualidade, estudar em escolas públicas”, lembraram.


Os planos para o futuro também já estão na agenda. Alguns querem se preparar para prestar concurso público, avaliar o emprego de acordo com salário, outros se dedicar por amor à profissão. “Eu vou mais pelo amor à enfermagem, sem me importar com salário”. Outros, ainda, gostam dos dois. “O negócio é se destacar na área”, concluíram.

Uma oportunidade a mais é a chance de conviver com outras culturas trazidas na bagagem dos estrangeiros. “Vamos acolher bem. Já gostamos dos que chegaram,” disseram. O curso permitirá estágios nos países parceiros.

Esses alunos se dividem entre Redenção – Antônio Diogo – Barreira – Baturité – Ocara. Apesar de todos fazerem parte do Maciço de Baturité, nem todos conhecem a parte histórica e turística de cada pedacinho da região, que somados formam os 13 municípios do Maciço. Depois de uma rápida memorização sugeriram alguns pontos turísticos e históricos para quem quer conhecer um pouquinho mais da região.

Categoria