Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Lista de candidatos aprovados será divulgada amanhã, 6 de setembro

Data de publicação  09/09/2011, 14:00
Postagem Atualizada há 10 anos
Saltar para o conteúdo da postagem
A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão (PROPPGE), da Unilab, deu continuidade hoje, 5 de setembro, ao processo de seleção dos candidatos inscritos para o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Histórias e Culturas Afro-Brasileira, Indígena e Africana. Durante o dia, os 66 selecionados para a segunda fase foram entrevistados pela banca de professores do curso. O resultado com a lista dos 50 selecionados será divulgado amanhã, dia 6 de setembro, no site da Unilab. Já a aula inaugural será no próximo dia 9 de setembro, no anfiteatro da Unilab, a partir das 8h30.

Segundo a pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão da Unilab, Stela Meneghel, o objetivo do curso é buscar contribuir na prática com os projetos relacionados à temática enfocada realizados pela prefeitura de Redenção, especificamente, com o projeto “Cores de Redenção”. Vários professores de Redenção já trabalham com este projeto, desenvolvendo uma discussão com base na diversidade, principalmente a étnica, mas, também racial e cultural, entre outras.

“Nossa ideia é fazer uma formação continuada para avançar na prática destes professores em lidar com a questão da diversidade dentro da sala de aula, oferecendo a possibilidade de se enxergar toda a riqueza das culturas africana e indígena”, explicou Stela, acrescentando que a proposta da Unilab é criar uma área de competência e referência no estudo da questão da herança indígena e da África lusófona.

Entrevistas

Os candidatos foram entrevistados um a um por duas bancas, no Campus da Liberdade, em Redenção.  Confira abaixo o depoimento de alguns deles.


“Já fiz dois semestres da graduação em História e tive que deixar de lado, então, agora, é minha oportunidade de voltar para uma área que gosto muito. Com o curso, vou estar mais bem preparada para lidar com situações de preconceito dentro da sala de aula de uma forma mais embasada, procurando conversar com os alunos e mostrar a importância do respeito à diversidade. Se tudo der certo, depois farei o Mestrado porque quero continuar estudando e trabalhando nesta área”. – Vera Lúcia Alves Costa, professora de Matemática.


“Esse curso está completamente dentro da minha área e meu objetivo é ampliar meus conhecimentos, até porque vivencio situações de preconceito dentro da sala de aula. Agora mesmo, tenho um aluno negro que sempre é alvo dos outros estudantes, que colocam apelidos e ficam criticando tudo o que ele faz, tentando diminuí-lo. Como conseqüência, este aluno se exclui de diversas atividades. Creio que a Especialização vai mudar minha postura com os alunos diante de situações como esta”. –Terezinha Martins, professora de História, Geografia e Ciências.


“Decidi tentar uma vaga neste curso por conta do projeto Cores de Redenção. Vi a empolgação com que os professores começaram a trabalhar com esta temática que tem tudo a ver com a história de Redenção, com a nossa história. Hoje, a maioria dos professores com certeza já vivenciaram situações de intolerância. Eu, por exemplo, já vivenciei na pele, pois minha mãe é negra de cabelo pixaim, cortado bem curto, e só andava de calça comprida. E, quando criança, ao andar com ela, muitas vezes me perguntavam depois: ‘Quem era aquele negão com que você estava?’ Aí eu respondia que era a minha mãe. Mas, isso hoje é um detalhe, assim como a cor da nossa pele”. – Solange Miranda Melo Silva, professora de Ciências.

Formação

Aprovado pela Resolução CONSUP/UNILAB nº 14, de 26 de julho de 2011, o curso oferece um total de até 50 vagas, destinando-se preferencialmente aos professores, coordenadores e gestores da Educação Básica da rede de ensino do município de Redenção (CE). Todos os estudantes deverão ter formação superior comprovada em curso de bacharelado ou de licenciatura, reconhecido pelo Ministério da Educação.

A Especialização será realizada na modalidade presencial no campus da Unilab, com carga-horária de 360 horas, distribuídas em 12 (doze) disciplinas, e cujas discriminações específicas se encontram no formulário de projeto do curso aprovado pelo CONSUP/UNILAB.

As aulas serão ministradas pelos professores: Carlos Subuhana, Fernando Afonso, Lourenço Ocuni Cá, Luís Tomás, Manoel de Sousa e Silva, Maria do Carmo Tedesco, Monalisa Valente e Paulo Melo.

Categoria