Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Jovens calouros falam de suas expectativas ao entrar na Unilab

Data de publicação  14/09/2011, 12:23
Postagem Atualizada há 10 anos
Saltar para o conteúdo da postagem
A entrada em uma universidade é um sonho da maioria dos estudantes que têm ânsia de conhecimento e desejam um futuro profissional promissor. E, quando se concretiza, abre um mundo de oportunidades para muitos jovens, jovens como a Edelilde do Nascimento, a Alane Rebeca e o Antônio Herbeson, todos eles calouros da Unilab. Ainda eufóricos com o fato de estarem agora na vida acadêmica, os novos alunos deram seus depoimentos sobre o que significa estar na Unilab. Confira abaixo.
“Entro na Unilab com as melhores expectativas, até porque esse é curso que realmente quero fazer. Eu estava cursando Letras na UECE (Universidade Estadual do Ceará), em Fortaleza, mas, era muito sacrificado. Minha mãe teve que se mudar pra morar comigo lá; passávamos a semana em Fortaleza e só voltávamos para casa no final de semana. Aí fiz o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio – de novo, porque sempre quis um curso na área da Saúde, e consegui ser aprovada. É a realização de um sonho”. – Alane Rebeca, 18 anos, estudante do curso de Enfermagem, natural do distrito de Antônio Diogo, em Redenção (CE).
“Estou cheio de planos com o meu ingresso na Unilab. Sei que aqui vou encontrar muito conhecimento, principalmente por ser uma universidade internacional. O curso que vou fazer oferece muitas oportunidades de trabalho, principalmente porque, cada vez mais, o mundo está se voltando para a produção de energias renováveis. O começo vai ser difícil porque ainda moro em Fortaleza, mas, já estou vendo um lugar para poder morar aqui em Redenção, o que vai facilitar muito ”. – Antônio Herbeson Jorge Brandão, 18 anos, estudante do curso de Engenharia de Energias, natural de Fortaleza (CE).
“Escolhi Agronomia porque é uma área bem próxima pois meu pai é agricultor aposentado. Estava tão ansiosa que saí do trabalho há dois meses, só pensando no começo das aulas; mas, minha mãe estava mais ansiosa ainda. Tenho dois irmãos mais velhos, mas, sou a primeira da família a entrar em uma universidade. Quero estudar bastante e dar o melhor de mim para alcançar as melhores possibilidades do mercado de trabalho. Tem que correr atrás pra conseguir vencer”.  – Edelilde do Nascimento, 26 anos, estudante do curso de Agronomia, natural do distrito de Antônio Diogo, em Redenção (CE).
Categoria