Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab marca presença no Fórum Brasil África com palestra do Reitor

Data de publicação  11/05/2012, 13:35
Postagem Atualizada há 9 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

O reitor Paulo Speller participou na manhã desta sexta-feira (11) do Fórum Brasil África, promovido pela Universidade de Fortaleza, com apoio da Unilab e outras instituições. O evento é realizado num hotel da avenida Beira Mar, na capital cearense.

(Fotos: Nely de Carvalho)

Paulo Speller foi um dos conferencista da Mesa: “Cooperação para o Desenvolvimento”. A primeira apresentação foi do Chefe-geral da Embrapa Agroindústria Tropical, Vitor Hugo de Oliveira, com o tema “Agronegócio e Inovação: Como Fazer Negócios e Promover o Desenvolvimento”. Ele apresentou a instituição e mostrou os caminhos já trilhados em parceria com os países africanos, principalmente no que diz respeito à transferência de tecnologia, venda de licenças de produção de sementes e equipamentos de beneficiamento de frutas.

Reitor Paulo Speller

Em seguida foi a vez do reitor Paulo Speller apresentar o tema: “A Contribuição da Unilab para a Expansão dos Estudos Africanos do Brasil”. Primeiro, ele falou sobre o histórico da universidade e as razões para a instalação em Redenção, interior do Ceará. O reitor destacou a importância da instituição estar voltada para a cooperação Sul-Sul, prioritariamente com os países de língua portuguesa, e notadamente da África. “A demanda gerada pelo presidente Lula não era de criar mais uma universidade federal e sim de se implantar uma instituição que assumisse essa face da cooperação solidária”, destacou Paulo Speller.

O reitor informou aos participantes do Fórum que a Unilab já firmou convênios e parcerias com todas as universidades públicas dos países parceiros e agora está avançando em projetos de mobilidade de estudantes e professores entre as instituições. Segundo ele, assim vai ser possível cumprir a missão da universidade que é trabalhar na perspectiva da formação conjunta, em que os estudantes iniciam as atividades acadêmicas no Ceará e concluem em seus países de origem, fechando o ciclo de uma formação mais adequada quando ele retornar, em definitivo, para casa.

Paulo Speller deu ainda um panorama geral sobre a Unilab, que, após a construção do Campus das Auroras (instalações definitivas), deve atender a 5.000 estudantes de Graduação e 1.000 alunos de Pós-Graduação, sendo metade de brasileiros e os outros 50% de estrangeiros. Mesmo equilíbrio entre os professores, com incentivo para vinda de doutores das universidades dos países paceiros, que vão atuar como professores visitantes.

Em relação aos projetos que já estão sendo encaminhados, o reitor destacou a cooperação com outros países que, apesar de não serem lusófonos, se identificam nessa missão da cooperação solidária, como é o caso da França e Portugal. Paulo Speller ressaltou ainda o importante papel da Rede de Instituições de Ensino Superior (RIPES), uma iniciativa da Unilab que propõem a integração de instituições do Brasil, África, Ásia e Europa, com apoio da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa).

Sobre o Fórum Brasil África, o reitor chamou a atenção dos participantes para que os benefícios gerados pelos negócios sejam mútuos entre os países. “O princípio que defendemos é o da cooperação solidária, em que todos ganham e partilham de conhecimentos, méritos e resultados”. Paulo Speller destacou o papel da Unilab nesse processo, porque está ajudando a formação de quadros de profissionais especializados dos países africanos onde muitas empresas brasileiras atuam.

Após a apresentação do reitor da Unilab, foi a vez do Embaixador da República do Zimbábue no Brasil, Thomas Sukutai Bvuna. Ele falou sobre as “Estratégias de Cooperação para a Realização de Negócios”. O último conferencista da mesa foi diretor do escritório regional da Fiocruz em Moçambique, José Luiz Telles, com o tema “Cooperação Técnica na Área da Saúde e Tecnologia em Saúde”

Categorias