Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Professor da Unilab participa do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

Por
Data de publicação  30/05/2012, 11:13
Postagem Atualizada há 10 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

O professor da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Luis Tomás Domingos, foi convidado para ser um dos debatedores do II Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (FMEPT), em Florianópolis, Santa Catarina. O tema da edição deste ano é “Democratização, Emancipação e Sustentabilidade”. O evento começou segunda-feira (28) e segue até sexta-feira, 1º de junho.

O fórum temático é vinculado ao Fórum Mundial de Educação, um movimento pela cidadania e pelo direito universal à educação que busca levantar propostas para integrar a plataforma mundial de educação. Durante cinco dias, estudantes, professores, pesquisadores, trabalhadores, governos, sindicatos, associações e pessoas da sociedade civil de diversos países discutem formas de priorizar a educação na construção de um outro mundo possível.

Professor Luís Tomás (no centro da mesa)

Na terça-feira (29), Luis Tomás Domingos foi um dos debatedores do tema Ações Afirmativas para a Educação Profissional e Tecnológica (EPT). Na sua apresentação, intitulada “A Inclusão do Negro no Processo da Educação do Brasil: Uma breve perspectiva história”, Domingos defendeu a reflexão sobre a inclusão do negro no processo de educação no Brasil sob “um novo olhar” precisamente na quebra do paradigma evolucionista de carácter positivista que se centraliza numa lógica apenas dialética (senhor x escravo) na interpretação das relações humanas.

De acordo com o professor, a Educação Brasileira deve abranger a história e culturas dos povos que formaram a sociedade brasileira. “E isto significa que outro conceito da educação é possível. Uma educação que valoriza a especificidade de ser humano, da dignidade do homem, das relações multiculturais e “etnicorraciais” que não seja apenas capacitar professores (as) a inserir conteúdos no currículo escolar”, diz.

Ele reforça que é papel da educação abranger todas as diversidades culturais dentro de uma perspectiva de respeito à dignidade humana. “A educação deve ter como centro da sua atenção o Ser Humano, o Homem. Sim, outra educação é possível e necessária, uma educação para a dignidade humana”, defende.

Clique aqui para mais informações sobre II Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (FMEPT).

Categoria