Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Universidade comemora Independência de Cabo Verde

Data de publicação  03/07/2012, 15:14
Postagem Atualizada há 9 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab) promove nesta quinta-feira (05) um dia especial em alusão ao aniversário de 37 anos da Independência de Cabo Verde. A programação está sendo coordenada pela Pró-Reitoria de Graduação, através da Coordenação de Assuntos Estudantis, com apoio das demais pró-reitorias e gabinete do reitor. Atualmente, a Unilab conta com 15 estudantes cabo-verdianos. A maioria (12 estudantes) chegou no último dia 31 de maio para ingressar no segundo trimestre letivo de 2012.

Confira a programação do evento no convite abaixo:

[gview file=”http://www.unilab.edu.br/wp-content/uploads/2012/07/CONVITE-INDEPENDÊNCIA-CABO-VERDE-1.pdf”]

História da Independência

A partir da década de 1950, com o surgimento dos movimentos de independência dos povos africanos, a colônia portuguesa de Cabo Verde vinculou-se à luta pela libertação da Guiné Portuguesa (actual Guiné-Bissau). Em 1956, o intelectual Amílcar Cabral fundou em Bissau o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Exilado em Conacri, ali criou uma delegação e sede do partido. Cabral foi assassinado em 1973. Após a Revolução dos Cravos, que depôs a ditadura em Portugal (1974), Cabo Verde obteve a sua independência (5 de Julho de 1975).

Foto da cerimônia no dia da independência de Cabo Verde, 5 Jul 1975 (Praia, Santiago)

Cabo Verde e a Guiné-Bissau formaram países separados mas governados pelo mesmo partido único de orientação marxista, o PAIGC. O líder do partido em Cabo Verde, Aristides Pereira, foi empossado como primeiro presidente do novo país.

Conheça mais Cabo Verde

Cabo Verde é um país insular africano, arquipélago de origem vulcânica, constituído por dez ilhas. Está localizado no Oceano Atlântico, a 640 km a oeste de Dakar, Senegal. Foi descoberto em 1460 por Diogo Gomes ao serviço da coroa portuguesa, que encontrou as ilhas desabitadas e aparentemente sem indícios de anterior presença humana.

O relevo da maior parte das ilhas é acidentado, com altitudes que ultrapassam os mil metros em algumas ilhas atingindo mesmo 2.882 metros na ilha do Fogo. As três ilhas mais orientais têm um relevo mais plano e um clima mais árido por estarem expostas aos ventos secos e quentes do sahara. As costas são caracterizadas pelos contrastes entre as falésias altas e abruptas caindo a pique sobre o mar e as vastas praias de fina areia.

O clima das ilhas mais acidentadas é variado e com alguma pluviosidade. É temperado graças à ação moderadora que o oceano e os ventos alísios exercem sobre a temperatura, sendo que as médias anuais raramente se elevam acima dos 25ºC, nunca descendo abaixo dos 20ºC. A temperatura da água do mar varia entre 21ºC em Fevereiro e Março e 25ºC em Setembro e Outubro. A estabilidade climática de Cabo Verde garante a possibilidade de se fazer turismo todo o ano.

Em Cabo Verde, a taxa anual de crescimento demográfico e a de mortalidade são baixas, comparadas às taxas médias de outros países com rendimento médio. A esperança média de vida é de 62 e 65 anos, respectivamente para homens e mulheres.

A população residente no país é estimada em 434.263 habitantes, sendo uma população jovem com média de idade de 23 anos. A falta de recursos naturais e as escassas chuvas no arquipélago determinaram a partida de muitos caboverdianos para o exterior. Atualmente a população caboverdiana emigrada é maior do que a que vive em Cabo Verde.

 Com informações do Portal do Governo do Cabo Verde

Categoria