Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

MOÇAMBIQUE – Quase um milhão de crianças deve nascer no país até o final de 2014

Data de publicação  14/08/2014, 09:42
Postagem Atualizada há 7 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

bandeira_mocambiqueEste ano deverá nascer em Moçambique quase um milhão de crianças, tal como ocorreu em 2013 e 2012. Cada mulher moçambicana tem, em média, seis filhos, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). “A continuação desta taxa de fertilidade contribuirá para um crescimento da população de mais de 2,5 % por ano, além de contribuir para um crescimento exponencial das crianças”, diz o representante do Unicef em Moçambique, Koenraad Vanormelingen.

Outro dos fatores que contribui para esse crescimento é a redução da mortalidade infantil e juvenil, que, segundo Vanormelingen, baixou pela metade nos últimos 15 anos, embora uma em cada 10 crianças morra antes dos cinco anos.

De acordo com o “Geração 2030/Relatório sobre África”, apresentado no último dia 12 pelo Unicef em Joanesburgo, na África do Sul, no próximo ano, mais de metade da população de 15 países africanos terá menos de 18 anos, incluindo Angola (54%) e Moçambique (52%).

“O Estado tem de prover serviços sociais básicos para estas crianças – educação, saúde, nutrição, água e saneamento, por exemplo. Mas, como o Governo continua a destinar os mesmos 35% do Orçamento para esses serviços, a cobertura vai retroceder por causa do aumento da população”, diz Koenraad Vanormelingen. O responsável defende que, se o Governo destinasse 40% do Orçamento para os serviços sociais básicos, seria possível ver progressos até 2020.

Planeamento familiar
“É preciso também apostar mais no planeamento familiar”, afirma o representante do Unicef. “O mais importante para reduzir o número de nascimentos é a educação. Mas, infelizmente, temos aqui, no país, um grande problema nessa área”, complementou.

Moçambique está no “top dez” dos países que, até 2050, mais contribuirão para o aumento populacional em África, devendo crescer em 33 milhões de habitantes. Os atuais 14 milhões de crianças aumentarão em 11 milhões.

Ainda segundo o Relatório do Unicef, em 2015, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe estarão em sexto e oitavo lugar, respetivamente, na lista dos 10 países africanos com maior porcentagem de população urbana, e Cabo Verde será um dos países do continente mais densamente povoado.

 Fonte: Deutsche Welle

Categorias