Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab recepciona novos estudantes estrangeiros

Data de publicação  13/02/2015, 12:35
Postagem Atualizada há 7 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

ACOLHIMENTO ESTUDANTES

No último dia 21 de janeiro, a Unilab recebeu novos estudantes estrangeiros, vindos para os campi do Ceará e Bahia. Com eles, desejos de saber e integração. Por parte da universidade, a acolhida dos estudantes novatos conjuga-se com diversas ações coordenadas pela Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae), Pró-Reitoria de Relações Institucionais (Proinst), Pró-Reitoria de Administração (Proad) e Pró-Reitoria de Graduação (Prograd).

Pró-reitor da Propae, Alexandre Cunha destaca que o planejamento para receber os estudantes começou ainda em novembro e ganhou reforço com a criação do Programa de Acolhimento e Integração de Estudantes Estrangeiros (Paie), que é vinculado ao Programa de Assistência ao Estudante (Paes). “Todas as etapas necessárias, desde a chegada ao aeroporto até a regularização dos estudantes estrangeiros estão sendo até agora um sucesso”, afirmou.

A tutora do Paie, Vanda Camblé, natural de São Tomé e Príncipe, tem 22 anos, acompanha seis estudantes novatos e cursa Administração Pública há um ano. Ela conta que o objetivo do programa é fazer com os estudantes sejam bem-recebidos, auxiliando-os a resolver questões importantes para a sua permanência e ambientação na universidade e cidade, como tirar documentos, abrir conta bancária e conhecer a cidade. “Nós os orientamos para que não fiquem perdidos e ajudamos também a minimizar a saudade. Com o crescimento da Unilab, este programa era necessário”, avaliou.

Atividade dos Círculos de Boas-Vindas.

Atividade dos Círculos de Boas-Vindas.

Um dos tutorandos de Vanda é Patrick Agati Pires, de São Tomé e Príncipe. Ele tem 21 anos e vai cursar Engenharia de Energias. O estudante afirma que está alegre e que a vivência na Unilab será uma oportunidade para conhecer uma nova cultura e novas formas de pensar. “Espero ter conhecimento o suficiente para sair daqui com o objetivo pelo qual vim. Quero também conhecer novas pessoas, partilhar formas de pensar, não só a cultura local, mas as culturas dos outros países que estão na Unilab também”, disse.

As estudantes Felismina Mancassa e Natália Ernesto vieram da Guiné-Bissau para cursar o Bacharelado em Humanidades, no Campus dos Malês. “Estamos muito gratas ao governo do Brasil, porque na Guiné-Bissau temos universidades, mas as condições são muito complicadas. É por isso que é uma enorme honra estudar aqui. As pessoas estão nos recebendo bem, o pessoal da Unilab também”, contou Felismina.

Natália destacou as primeiras impressões e a empolgação para começar os estudos. “Estou me sentindo feliz pela oportunidade, por fazer o curso de Humanidades, que é o curso que eu gosto. Antes de vir, pesquisei e tenho uma ideia de como será, espero estudar e depois voltar pro meu país para dar a minha contribuição. Esse momento de chegada é um momento único, o clima, a comida, tudo muito diferente, mas já estou me acostumando um pouco”, ressaltou.

Dinâmicas e palavras-chave nortearam a conversa sobre as expectativas dos recém-ingressos.

Dinâmicas e palavras-chave nortearam a conversa sobre as expectativas dos recém-ingressos.

Para que os estudantes permaneçam no país e desenvolvam o curso universitário, há todo um esforço articulado e coletivo da Unilab. A Proinst responsabiliza-se por tratar das questões burocráticas da chegada e permanência dos estudantes estrangeiros no Brasil. “No final do ano passado, ainda antes da chegada, disponibilizamos na página da Unilab e também enviamos pelo e-mail dos candidatos selecionados um Guia do Estudante, com tópicos específicos para os estrangeiros, com o intuito de permitir que o estudante tivesse contato com as primeiras informações a respeito do Brasil, do Ceará e da Bahia e também da Unilab”, lista o pró-reitor de Relações Institucionais, Cássio Rúbio.

Acompanhar os estudantes à Polícia Federal também é tarefa da Proinst. Lá, os discentes regularizam os vistos e, em seguida, vão à Receita Federal para emitir o Cadastro de Pessoa Física (CPF), requisito para, inclusive, abrir conta bancária no Brasil. “Destaca-se a parceria da Unilab com as unidades da Polícia Federal de Salvador e de Fortaleza e com a Receita Federal de Santo Amaro da Purificação e de Baturité, que permite o atendimento de todos os estudantes em curto período de tempo. As ações de regularização e legalização têm sido realizadas dentro do prazo fixado pelas Pró-Reitorias, o que permitirá que os estudantes tenham sua matrícula efetivada no próximo dia 23 de fevereiro”, explica Cássio.

A Coordenação de Saúde e Bem-Estar (Cosbem), vinculada à Proad, participa do processo de acolhimentos dos estudantes com avaliação de enfermagem, seguida de avaliação médica, com oferta de realização de exames de laboratório e de imagem (parceria com secretarias municipais e estaduais). Além disso, a Cosbem promove um momento de integração e discussão sobre o Sistema único de Saúde (SUS), Rede de Saúde Local das cidades de Redenção e Acarape, no Ceará, e São Francisco do Conde, na Bahia, e roda de conversa sobre Saúde do Viajante, com discussões acerca das principais diferenças regionais entre os países parceiros, abordando clima, alimentação, hidratação, práticas de higiene, vacinação e adoecimentos. Junto com o Núcleo Interdisciplinar de Atenção às Subjetividades (Nias/Propae), a Cosbem realizou os Círculos de Chegadas e Boas Vindas, organizado e realizado pelos profissionais de psicologia.

A assistente social do Campus dos Malês, Leila Machado, ressalta o trabalho feito a partir do Paie. Os estudantes já foram esclarecidos sobre o Paes, formas de acesso aos auxílios e documentos necessários para análise socioeconômica. Também já houve uma explanação sobre economia financeira, Lei Maria da Penha, a atuação das assistentes sociais e os serviços disponibilizado pela Unilab, assim como o papel do tutores do Paie. “Os estudantes tiveram encontros com o Centro Acadêmico, realizaram atividades esportivas e tem interagido cotidianamente com os estudantes brasileiros, colocando em prática a gênese da Unilab: A integração”, relata.

Categorias