Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab e Unila compartilham experiências com foco em integração e vocação internacional

Data de publicação  27/10/2015, 12:53
Postagem Atualizada há 6 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

 

Reunião entre gestores da Unila e Unilab

Reunião entre gestores da Unila e Unilab (Foto: Secom/Unila)

Representantes da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) estiveram na Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), por três dias, para visita técnica e compartilhamento de experiências entre as duas instituições, que têm em comum o foco em integração e a vocação internacional. Enquanto a Unila se relaciona com os demais países latino-americanos, a Unilab é responsável por promover a integração com países africanos de língua portuguesa.

Participaram da comitiva os pró-reitores de Extensão, Arte e Cultura, Rafaella Pessoa; de Pesquisa e Pós-Graduação, Albanise Marinho; de Políticas Afirmativas e Estudantis, Alexandre Costa; e a diretora do Instituto de Ciências da Saúde, Emília Soares, em função da futura implantação do curso de Medicina na Unilab.

O primeiro contato dos visitantes foi com o reitor Josué Modesto dos Passos, o vice-reitor Nielsen Pires e os pró-reitores das áreas de Graduação; Extensão; Pesquisa e Pós-Graduação; Assistência Estudantil; e Relações Institucionais e Internacionais da Unila. Foi o primeiro momento de troca de informações antes de visitarem as áreas específicas para verificação de semelhanças e diferenças em que são conduzidos os processos internos e conhecer o desenvolvimento de novos projetos.

Há muitas semelhanças entre as duas instituições, assim como algumas diferenças. Para o processo seletivo de estudantes estrangeiros, no caso da Unilab, alguns servidores da universidade são enviados para os países que integram o projeto (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste) e aplicam exames de seleção para os inscritos. Diferente da Unila, a Unilab possui dois campi em distintos estados do Nordeste: no Ceará e na Bahia.

“Houve muita discussão em termos de extensão universitária, pós-graduação, pesquisa, políticas afirmativas e ações estudantis, além da troca de formatação de processos. Outro ponto observado foi a questão da moradia estudantil. Nesse sentido, a Unila já tem uma estrutura consolidada, com ambiente próprio, formado por quatro alojamentos. E foi interessante ver essa infraestrutura e perceber como isso se dá num ambiente de integração internacional”, disse Alexandre Costa.

Rafaela Pessoa destacou a futura parceria para a criação de uma revista de extensão da Unilab e Unila com foco nos países estrangeiros, “uma vez que contamos com docentes e discentes de outros países, planejamos trabalhar uma publicação conjunta”.

A instalação do curso de Medicina na Unilab foi também ponto de pauta entre as instituições de ensino superior. “Eu e a professora Emília nos reunimos com as pessoas envolvidas na formação do curso de Medicina da Unila e pudemos observar como se deu essa implantação e como está sendo a execução desse projeto. Conhecemos também os laboratórios e toda a estrutura física que permite o funcionamento do curso de Medicina da Unila”, ressaltou Rafaella Pessoa, que integra a comissão para a implantação do Curso de Medicina da Unilab.

Já Albanise Marinho deu ênfase as trocas de experiências e desafios na gestão das pró-reitorias e a institucionalização dos processos administrativos da Proppg. Em seguida, resumiu: “Os resultados alcançados, pode-se resumir na troca de experiências e informações no que se refere aos processos de funcionamento tanto na pesquisa quanto na pós-graduação.”

A pró-reitora de Extensão da Unila, Angela de Souza, explica que após uma visita realizada no ano passado na Unilab, juntamente com o professor Marcos Xavier (na época pró-reitor de Graduação), iniciou-se um diálogo entre as duas instituições a respeito de projetos de extensão universitária. “Avançamos em conversas e propostas nos fóruns de pró-reitores, inclusive sobre a elaboração de uma revista conjunta na área de extensão, com periodicidade semestral, para que possamos trabalhar questões da área nas duas universidades e também levar discussões epistemológicas mais amplas que dialogam nesse contexto internacional, o que caracteriza as duas instituições”, diz.

Ao final da programação, eles participaram do projeto de Extensão Visitas Programadas, coordenado pela Secretaria de Comunicação Social. Os bolsistas Karen Pozo e Lucas Miotti apresentaram o projeto Unila para os visitantes e as instalações da universidade no Parque Tecnológico da Itaipu, onde mostraram parte da infraestrutura utilizada e fizeram o resgate histórico da instituição.

Com as informações de  www.unila.edu.br

Categorias