Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Ações integradas em saúde mental acolhem discentes. Confira em página específica

Data de publicação  29/06/2021, 18:29
Postagem Atualizada há 5 meses
Saltar para o conteúdo da postagem

A pandemia de Covid-19 tem gerado uma série de restrições e alterações no cotidiano. Em situações estressantes assim, cada indivíduo responde de um jeito, trazendo ações e sentindo emoções que variam conforme história de vida e possibilidades do momento.

Na Unilab, considerando a crescente demanda por escuta em saúde, a Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae), por meio da Coordenação de Assistência à Saúde do Estudante (Coase), junto com professores/as de diferentes áreas de formação, oferece as Ações Integradas de Promoção em Saúde Mental, que podem ser conferidas nessa página.

A Coase tem direcionado suas ações e concentrado profissionais de diferentes áreas de formação em um fluxo de acolhimento em saúde e percebeu-se ainda que seria interessante integrar todas as ações em saúde mental existentes na universidade, potencializando a capacidade de acolhimento da Unilab frente às demandas dos estudantes, o que vem sendo feito por meio de Ações Integradas em Saúde Mental.

A ideia surgiu a partir da procura de professores por estudantes que queriam apenas conversar. “Veio a ideia da escuta terapêutica, colocar à disposição da comunidade estudantil essa escuta para que possam ir aprendendo a lidar com seu sofrimento”, explica a enfermeira Valéria Fernandes, da Coase.

Na página das Ações Integradas em Saúde Mental, o discente pode acompanhar todas as iniciativas, que são interdisciplinares, com profissionais de várias áreas. Confira algumas:

Escuta Acolhedora em Saúde


De caráter permanente, a Escuta Acolhedora em Saúde, a cargo da Coase, oferta acolhimento individual multidisciplinar (médico e enfermagem), aos estudantes dos campi do Ceará, para atendimento de demandas gerais em saúde, primeira escuta em saúde mental e /ou encaminhamento à rede de saúde local. O primeiro acolhimento pela medicina e enfermagem podem gerar encaminhamentos internos para os demais profissionais de saúde pertencentes à Coase, como nutrição e psicologia.

A atividade ocorre por demanda, das 8h às 17h, on-line. O primeiro atendimento deve ser demandado via WhatsApp 3332-6262 ou pelo e-mail atendimento.coase@unilab.edu.br.

Caso o aluno seja encaminhado para atendimento psicológico, este ocorre na modalidade on-line e será realizado em uma ou mais sessões complementares com o objetivo de prestar apoio psicológico de curta duração.

Atendimentos Psicológicos On-line

No mesmo sentido, os Atendimentos Psicológicos On-line também ocorrem em caráter permanente e são voltados aos estudantes do Campus dos Malês, realizados pelo Setor Interdisciplinar de Atenção à Subjetividade (Sias/Bahia). O atendimento é conduzido por um psicólogo e deve ser demandado pelo e-mail satepsi.ba@unilab.edu.br.


Diálogos e afetos em grupo

A iniciativa “Salas de Diálogo e Afetos” faz parte da programação do +SaúdeUniversidade, vinculado à Coase/Propae. Os espaços virtuais foram criados e desenvolvidos em janeiro de 2021, em ação que buscou promover cuidado em saúde mental mediante estímulo à autorreflexão sobre a presença de emoções e as diversas formas de lidar com sentimentos.

“Percebemos que a possibilidade de um local acolhedor, mesmo que virtual, onde através do diálogo pode-se acessar sentimentos e sensações, teve uma adesão e comprometimento dos(as) presentes, na medida do possível. Para a equipe, ouvir os estudantes e suas necessidades nos ajuda no planejamento de ações em saúde. Pretendemos lançar novos encontros longitudinalmente, independentes entre si”, afirma a nutricionista Julliane Nunes.

Quando disponíveis, as Salas de Diálogos e Afetos serão divulgadas nas mídias e meios de comunicação oficiais da Unilab. A inscrição do(a) participante é feita via formulário próprio e os encontros ocorrem on-line via plataforma Google Meet. Em geral, os encontros são mediados por psicólogos ou médico da família.


Escrita terapêutica

Sob o título “O uso da escrita terapêutica como ferramenta para gerenciamento emocional”, a professora Kaline Girão ofertará atividades semanais a partir de 5 de julho. “Sabemos que emoções podem ajudar e/ou atrapalhar a atenção, a tomada de decisões, os relacionamentos, a saúde e o desempenho. Assim, por meio da escrita terapêutica, iremos explorar como reconhecer, compreender e rotular emoções com precisão usando o medidor de humor, assim como iremos refletir sobre uma série de “estratégias de ação” e “ estratégias de pensamento” para ajudar a modificar padrões mentais e a controlar emoções de maneira saudável e produtiva”, pontua Kaline. Para mais informações, acesse o Instagram @gpcomplic.

Meditação, autocuidado e relaxamento

O Projeto Amar – Acolhimento, Meditação, Autocuidado e Relaxamento surge da busca por equilíbrio, autoconhecimento e saúde do corpo e da mente, tendo como proposta a meditação e a terapia comunitária integrativa (TCI).

A meditação é descrita como treinamento da atenção plena à consciência, associada a mais bem-estar físico, mental e emocional e considerada uma fonte de redução da ansiedade e do estresse. Já a TCI é uma prática que promove a partilha de experiências, objetivando a valorização das histórias pessoais, favorecendo a restauração da autoestima e da autoconfiança.

A ação é organizada pela docente Carolina Carvalho, às terças-feiras, das 17h às 18h, via Google Meet.

Como saber a hora de procurar ajuda?

De modo geral, a pandemia tem desencadeado sensações de preocupação, medos, raiva e tristeza, por exemplo, podendo gerar sofrimento psíquico e ainda sintomas relacionados a esse sofrimento, como alterações de sono e de apetite, fadiga e irritabilidade.

O contexto pandêmico pode causar ou exacerbar ansiedades. Um passo importante, diante desse cenário, é estar atento(a) às emoções, tentando compreender seus níveis de estresse. Isso pode ajudar a elaborar um plano de como lidar com essas sensações.

Ao olhar para nossas emoções, contudo, podemos entrar em contato com pensamentos desagradáveis que podem desencadear sofrimento. Desânimo, irritações, humor deprimido, agitação, sensação de falta de energia, por exemplo, podem ser sintomas relacionados a esse sofrimento e aí seria a hora de buscar ajuda.

“Cuidar das nossas emoções e manter a saúde mental durante a pandemia de Covid-19 pode representar um grande desafio. Com o objetivo de ajudar estudantes que estejam vivenciando algum sofrimento em saúde mental, a Coase tem disponibilizado um canal virtual para acolhimento de acadêmicos que sintam a necessidade de falar sobre suas emoções” , informa o médico José Cláudio Borges, da Coase.

Veja algumas atitudes que você pode tomar em prol da sua saúde mental:

  • Procure organizar uma rotina, mesmo que dentro de casa.
  • Organize e procure respeitar os horários para dormir e para acordar, de modo regular, bem como os horários para alimentação.
  • Se possível, reflita sobre que tipos de pensamentos aparecem com mais frequência e que levam à ansiedade. O que você consegue fazer para aliviá-los?
  • Evite excesso de informações que piorem o estresse ou ansiedade, buscando informações, quando necessário, em fontes confiáveis.
  • Reforce os cuidados e comportamentos de prevenção, como lavar as mãos, manter o distanciamento social e utilizar álcool em gel quando preciso.
  • Evite o uso de álcool e outras substâncias (como drogas ilícitas).
  • Identifique que atividades relaxantes e prazerosas são possíveis no momento (meditar, ouvir música, escrever, ver filmes etc) e procure realizá-las, sem “peso na consciência”, conforme as possibilidades de sua rotina.
  • Cuide dos afetos, mantendo contato virtual com amigos e familiares que não podem estar por perto.
Categorias