Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab e UFERSA consolidam passos para acordo de cooperação em visita de comitiva potiguar ao Ceará

Reitorias estão em fase de regulamentação de parceria que garantirá mobilidade de conhecimentos, práticas e pessoas entre as instituições. Ações afirmativas, internacionalização e doutorado sanduíche são pontos altos da negociação, que envolve os campi da Unilab no Ceará e na Bahia.

Data de publicação  03/08/2021, 11:54
Postagem Atualizada há 4 semanas
Saltar para o conteúdo da postagem
Início da visita ao Campus da Liberdade da manhã dessa segunda-feira (2). Da esquerda para a direita: Passos Jr. (Assecom UFERSA), Kátia Gramacho (Relações Internacionais UFERSA), Ananias Agostinho (Ações Afirmativas UFERSA), Ludimilla Oliveira (reitora UFERSA), Roque Albuquerque (reitor Unilab) e a senhora Adriana Albuquerque. (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

A gestão superior da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Instituição de Ensino Superior (IES) com múltiplos campi sediados no estado do Rio Grande do Norte e reitoria na cidade de Mossoró, visitou em comitiva, nesta segunda-feira (2), as instalações da Unilab no Ceará.

Participaram da caravana potiguar em revista à Unilab, as professoras: Ludimilla Oliveira, reitora da UFERSA; Débora Façanha, pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação; Kátia Gramacho, Assessora de Relações Internacionais. Também compõem o grupo: o professor Ananias Agostinho, coordenador de Ações Afirmativas, além de Passos Júnior e Carlos Adams, servidores da assessoria de comunicação da UFERSA.

A passagem do grupo contou com reconhecimento dos campi da Liberdade e Auroras (sediados no município de Redenção) e Palmares (em Acarape), além de almoço e visita no melhor estilo “aula de campo” à fazenda experimental da Unilab nos Piroás (zona rural de Redenção). Roque Albuquerque, reitor da Unilab, guiou a passagem da comitiva da UFERSA no trajeto intercampi, junto à vice-reitora, Cláudia Carioca. Mírian Sumica Reis, diretora do Campus dos Malês (BA), Olavo Garantizado Júnior, Pró-reitor de Pesquisa e Pós Graduação, e Joaquim Torres, chefe de Gabinete da Reitoria da Unilab, estiveram presentes no percurso.

O reitor da Unilab, Roque Albuquerque, apresenta a estrutura administrativa do Campus da Liberdade, em Redenção (CE), para comitiva da UFERSA (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

Aproximação entre Unilab e UFERSA

Os contatos entre as duas universidades vêm sendo travados desde meados de outubro do ano passado, por ocasião de visitas da reitoria da Unilab (então representada pela professora Cláudia Carioca) ao campus da UFERSA , em Mossoró. Em comum, as duas universidades têm o caráter voltado ao desenvolvimento regional (que, no caso da Unilab, se soma ao internacional) e a relativa proximidade geográfica.

“Nosso jurídico está formulando esse acordo de cooperação, que ambos os reitores irão assinar. Teremos um mestrado em rede e um doutorado (que a gente está construindo); a UFERSA está com a demanda de tomar de nós a experiência das ações afirmativas, que estamos na iminência de publicar a minuta… (A UFERSA) Também quer o know-how da Unilab para poder ‘ajudar’ os países africanos na área da educação, especialmente graduação”, pontuou Roque Albuquerque. 

Kátia Gramacho debate internacionalização com Roque Albuquerque. (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

A minuta à qual o reitor da Unilab se refere é um documento que vem sendo consolidado pela CDH (coordenada pelo professor Evaldo Ribeiro) com base nos debates desenvolvidos pelo GT de Ações Afirmativas desde 2020. Para Ananias Agostinho, “a Unilab parece ter avançado muito mais do que a UFERSA no que diz respeito à criação de ações afirmativas… Vamos estabelecer um estreito diálogo com a CDH para que a gente consiga elaborar a nossa política de inclusão considerando a experiência da Unilab”. O coodenador de ações afirmativas da UFERSA reforçou que o foco é em “estudantes negros, indígenas, ciganos, albinos e/ou pertencentes à comunidade LGBTQIA+, visando, sobretudo, a garantia não só do ingresso, mas da permanência na academia”. 

Além de membros da gestão superior, a UFERSA compareceu à Unilab junto à sua Assessoria de Comunicação. (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

A reitora da UFERSA, Ludimilla Oliveira, é docente com formação interdisciplinar, perpassando as ciências sociais, estudos em degradação ambiental, uso e ocupação de espaço, práticas de gestão e administração pública. Ela elogiou o sistema adotado pela Unilab na fazenda experimental dos Piroás e reforçou o interesse pelas práticas da Unilab: “Nós temos um trabalho conjunto, eu e o professor Roque, no sentido de que estamos a pouco mais de 200 km de distância. Então, não justifica que as nossas ações não sejam concentradas. Lá nós temos um foco no aspecto do semiárido; aqui, esse foco na cultura dos agrossistemas, pra nós, é fundamental”. 

Já a internacionalização, que na Unilab parte do próprio escopo de criação da universidade, (discriminado na Lei 12.289/10), é um ponto que a UFERSA visa adicionar ao seu projeto.  “Nós temos interesse em receber estudantes dos mesmos países que a Unilab recebe – e já temos na pós-graduação, mas queremos também na graduação”. Para Artemisa Monteiro, pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais da Unilab, esse desejo pode ser efetivado por meio de um pacto trilateral entre as universidades e os países parceiros. 

Por fim, a reitora da UFERSA teceu mais elogios à administração: “Acho que a Unilab está cumprindo a sua missão… Ela tem mesmo cara de universidade que integra diversidade”, concluiu Ludimilla. 

Ludimilla Oliveira, reitora da UFERSA, experimenta o cacau da Fazenda Piroás. (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

Mírian Sumica Reis, diretora do Campus dos Malês (BA) presente em atividades da gestão no Ceará por toda a semana, acompanhou a visita da UFERSA vislumbrando as possibilidades que essa parceria pode proporcionar para a Unilab na Bahia, ressaltando que “a distância geográfica não é impeditiva de pensar o desenvolvimento dos povos… Aliás, a Unilab mostra isso o tempo inteiro, se a gente considerar o nosso compromisso com África!”.

Ao final do dia, a gestão superior da Unilab promoveu reunião da comitiva vinda da UFERSA com demais pró-reitores da casa, a fim de socializar os diálogos sobre pesquisa e práticas de gestão desenvolvidos por gestores de ambas as IES. Somaram-se ao grupo: Artemisa Candé Monteiro, pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Geranilde Costa e Silva, pró-reitora de Graduação, Rosalina Tavares, pró-reitora de Administração, Fátima Bertini, pró-reitora de Extensão, Arte e Cultura, Adriano Semião, superintendente de Gestão de Pessoas, e Larissa Nicolete, em fase de inserção na Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis.

Visita à Fazenda Experimental Piroás

Os professores Lucas Luz, diretor do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR/Unilab), e Andrezza Araújo de França, docente e zootecnista lotada no IDR, conduziram a incursão das equipes das duas IES à Fazenda Experimental Piroás (FEP).

A FEP localiza-se a 17 km do Campus da Liberdade, distrito de Barra Nova, e possui efetivamente 28 ha. foi adquirida pela Unilab em 2012, e na última gestão vem desenvolvendo sua vocação, baseada em proporcionar aulas práticas para estudantes do curso de Agronomia e, mais eventualmente, da Biologia, também visando demais atividades e projetos que exerçam a extensão rural e a aproximação da comunidade com as práticas rurais para o bom desenvolvimento econômico-social.

Da esquerda para a direita: Mírian Sumica Reis, Cláudia Carioca, Olavo Garabtizado, Adriana e Roque Albuquerque. (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

Destaca-se em Piroás o cultivo de banana (cultura comum ao Maciço de Baturité) e de mais de 100 tipos de plantas ornamentais (flores de corte com cultivo orgânico). A propriedade abriga uma agrofloresta com cultivo de frutíferas e hortaliças, além de dois açudes. Seu corpo de funcionários é composto por 3 servidores técnicos e 6 terceirizados, que se revezam nas mais diversas atividades de administração e manejo da terra. 

Andrezza França e Lucas Luz guiam a visita à fazenda, mostrando espécimes vegetais e explicando formas de cultivo. (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

Lucas Luz e Andrezza França apresentaram aos gestores às minúcias do cultivo do café sombreado, e guiaram as comitivas mata adentro. Para Mírian Sumica, a vistoria foi ímpar: “Estamos num momento de planejar o desenvolvimento estratégico do Campus dos Malês, e há uma vocação no território para a agroecologia, para práticas ligadas à terra e ao mar… A experiência de conhecer trabalhos e projetos que já estão em curso aqui, na Fazenda Experimental dos Piroás, pode nos ajudar a pensar em projetos que para a nossa fazenda experimental, em São Francisco do Conde”

Débora Façanha, zootecnista e pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da UFERSA, elogiou a administração de Lucas Luz na Piroás, reforçando a importância da criação de uma pós-graduação que promova a criação de animais alinhada à produção de alimentos, visando a “soberania alimentar dos povos do campo, sem produzir alimento só por produzir”. Para ela, a aliança entre Unilab e UFERSA, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia, também é a possibilidade de pesquisa científica por biomas diversos, da caatinga à mata atlântica. 

Da esquerda para a direita: Lucas Luz, Ananias Agostinho, Carlos Adams, Débora Façanha, Roque Albuquerque, Adriana Albuquerque, Mírian Sumica Reis e Passos Jr. (Foto: Amanda Ingridy | Secom Unilab)

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido

Apesar de contar 16 anos sob a atual denominação, a UFERSA descende da Escola Superior de Agricultura de Mossoró (ESAM), criada em 1957. Trinta e oito anos depois, em agosto de 2005, a ESAM é transformada em Universidade Federal Rural do Semi-Árido. 

Conforme informações disponibilizadas no portal oficial da UFERSA, são 40 cursos de graduação distribuídos por 4 campi em diferentes cidades, sendo 21 deles em Mossoró (que continua sediando o centro administrativo da Universidade) e ainda 5 cursos em Angicos, 7 em Caraúbas e 7 em Pau dos Ferros. 

Mais informações sobre a UFERSA podem ser conferidas nos perfis oficiais no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Categorias
Palavras-chave