Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Incubadora Intesol busca novas parcerias com IDT, Consórcio Amsa e MAB

Data de publicação  23/09/2021, 09:32
Postagem Atualizada há 2 meses
Saltar para o conteúdo da postagem
Reunião entre Intesol e consórcio Amsa detalha plano de trabalho de cooperação técnica. Foto: Amsa.

A Incubadora Tecnológica de Economia Solidária (Intesol), da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), tem se reunido com organizações para estabelecer novas parcerias.

Uma importante parceria está sendo desenhada com o Consórcio Associação Pública dos Municípios do Maciço de Baturité, a Amsa. Em reunião no último dia 20, estabeleceu-se parceria na área da Educação Ambiental, cuja proposta deverá passar ainda por uma revisão geral. Participaram da reunião o superintendente da Amsa, Jairo Castelo Branco; a consultora de Educação Ambiental Yasmin Felix, a assessora jurídica Lisandra Rebouças e demais membros da equipe.

O Plano de Trabalho, anexo ao Termo de Cooperação Técnica que está em processamento com a Intesol, traz atividades que vão desde cursos, oficinas, intercâmbios de experiências, debates, palestras, eventos de grande porte, elaboração de material didáticos, manuais e cartilhas e ainda a possibilidade de montagem do estúdio “Ateliê de produção didático-pedagógica” na Intesol, para ocorrer num período de cinco anos, numa parceria Amsa e Intesol/IDR/Unilab.

Coordenação da Intesol e membros da Amsa. Foto: Amsa.

O Consórcio Associação Pública dos Municípios do Maciço de Baturité (AMSA) tem representação de 12 municípios – Acarape, Redenção, Barreira, Aracoiaba, Baturité, Capistrano, Aratuba, Mulungu, Pacoti e Palmácia – e objetiva responder pela gestão dos Resíduos Sólidos, integrando para tal fim a Preservação Ambiental, economizando recursos naturais através do processo de reciclagem, reutilização dos resíduos da construção civil, produção de adubos orgânicos e geração de emprego e renda.

Coordenadora da Intesol, Clébia Mardônio, reuniu-se com o presidente do IDT, Vladyson da Silva, e o assessor Antônio Gilvan de Oliveira. Foto: IDT.

Já no último dia 14, a coordenação da Intesol reuniu-se com o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), em Fortaleza, representado pelo presidente do IDT, Vladyson da Silva, e o assessor Antônio Gilvan de Oliveira. A intenção é formalizar termo de cooperação técnica, com atendimento ao crédito para empreendimentos em processo de incubação pela Intesol; realização de estudos e pesquisas na área do trabalho; formação/educação para o trabalho; orientação sobre intermediação de mão-de-obra, através da veiculação da unidade móvel no território Maciço de Baturité e Unilab, dentre outras. Haverá nova reunião com a participação da Reitoria da Unilab para encaminhamentos.

Além da parceria com a Intesol, o IDT abriu a possibilidade de receber estagiários de estágios obrigatórios e não obrigatórios, remunerados e não remunerados. O IDT é uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, qualificada pelo Governo do Estado do Ceará como Organização Social por meio do Decreto nº 25.019, de 3/7/98, que o tornou apto a executar políticas públicas nas áreas do trabalho e empreendedorismo.

Outra parceria que está se concretizando ocorre com o Movimento do Atingidos por Barragem (MAB). No dia 13 de setembro, on-line, a coordenação da Intesol se reuniu com representantes do movimento – os coordenadores do MAB Evanilson Mai, Venâncio e Mariano, além dos militantes João Marinho, também estudante da Unilab, e a professora Olga Caracas.

O convênio de cooperação técnica com o MAB já se encontra em processo de tramitação e, durante a reunião, pensou-se o plano de trabalho a ser incorporado no termo de cooperação técnica com a Intesol, com duração de cinco anos, tendo como principais objetivos ações de educação e formação em atendimento a grupos de jovens e produtores das comunidades nas quais o MAB faz intervenção. Além da parceria com a Intesol, o MAB, via convênio com a Unilab, poderá receber como estagiários discentes da universidade.

O Movimento dos Atingidos por Barragens nasceu na década de 1980, por meio de experiências de organização local e regional, fazendo um contraponto à implantação de projetos de hidrelétricas que ameaçavam comunidades. Hoje, além de fazer a luta pelos direitos dos atingidos, o MAB reivindica um Projeto Energético Popular.

Categorias