Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab publica nota intitulada “Justiça por Moïse Kabagambe”

Data de publicação  02/02/2022, 14:45
Postagem Atualizada há 5 meses
Saltar para o conteúdo da postagem

A Reitoria, o Serviço de Promoção à Igualdade Racial e as pró-reitorias que compõem a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) emitiram nota intitulada “Justiça por Moïse Kabagambe”, diante da  violência sofrida por Moïse Kabagambe, natural da República Democrática do Congo (país da África Central), de 24 anos, que estava no Brasil desde 2014. O congolês faleceu no Rio de Janeiro, vítima de um espancamento, no dia 24 de janeiro deste ano.

Segundo a nota emitida pela Unilab, “aventamos que Moïse Kabagambe tinha desejos e sonhos comuns a boa parte do corpo estudantil internacional da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira, a Unilab. Uma instituição muito peculiar, nascida com ênfase na cooperação solidária sul-sul entre países falantes de Língua oficial Portuguesa, especialmente os africanos”.  A nota segue em tom de consternação diante do fato ocorrido e pede por justiça à memória do cidadão congolês.

A morte violenta de Moïse em território brasileiro nos consterna enquanto instituição com diretrizes assentes na internacionalização da educação superior com os países africanos e Timor-Leste. A brutalidade que se fez presente no assassinato de Moïse traz à tona a violência racial e a xenofobia com os corpos negros, em particular os imigrantes. Ciente que poderia ser um dos nossos discentes a passar por situação semelhante ao assassinato do Moïse, repudiamos a violação aos direitos humanos e afronta à ´Lei de Migração Brasileira.´

Entendendo o Congo enquanto país de ‘língua oficial’ francesa, uma nação africana que deu um contributo enorme na formação do Brasil, uma das maiores diásporas africanas no mundo, não se justifica as reações de xenofobia e racismo constantemente acometidas à comunidade congolesa no Brasil. Portanto, os laços afetivos e históricos comuns entre o Congo e a nação brasileira são facilmente evidenciados.

Nós da Unilab, nos unimos ao coro que clama por justiça à memória de Moïse Kabagambe e à sua família. Enquanto instituição internacional, a Unilab atua na contramão dessas violências.

Foto/home: Reprodução/Twitter/@crisvector

Categoria
Palavra-chave