Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab visita países parceiros em missão institucional

Data de publicação  11/11/2022, 15:23
Postagem Atualizada há 2 semanas
Saltar para o conteúdo da postagem

Nas próximas três semanas, uma comitiva da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) visitará Moçambique, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, alguns dos países parceiros da universidade. A intenção é aprofundar a cooperação solidária Sul-Sul, com um envolvimento maior da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a partir de instrumentos de cooperação entre a universidade e instituições desses países.

Assim, a comitiva pretende se aproximar ou reaproximar institucionalmente de instâncias governamentais, setores de Educação e de Relações Exteriores, universidades, entre outros, mediada por articulação da embaixada brasileira.

Outros pontos importantes são dar um retorno dos excelentes resultados acadêmicos da Unilab; divulgar a pesquisa desenvolvida na instituição, buscando contato com agências de fomento internacionais; buscar parcerias e financiamento para o processo seletivo de estudantes internacionais e para a assistência estudantil; e mapear áreas de interesse comum na educação superior para o Brasil e países visitados.

A escolha dos países se justifica desta maneira: Moçambique, pelas novas perspectivas abertas após a assinatura do acordo de cooperação técnica com o Instituto de Bolsas de Estudo (IBE), em 2021; Cabo Verde, pela relação historicamente mais restrita à embaixada do Brasil para a seleção de estudantes; São Tomé e Príncipe pelos mesmos motivos de Cabo Verde, mas também pelas tratativas em curso visando a um acordo de cooperação para concessão de bolsas.

De acordo com a pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Artemisa Monteiro, este é o momento em que os países definem o orçamento geral do Estado e, portanto, o período adequado de visitá-los a fim de fechar acordos. “Se desejamos algo como contrapartida, precisamos negociar antes dos governos parceiros definirem a agenda política e áreas de atuação a partir do orçamento de Estado 2023. Esperamos muitos resultados com a missão, mas o mais importante é melhorar a questão de moradia, saúde, permanência e integração do estudante internacional na Unilab; e redefinir as áreas de interesse comum no ensino superior, inclusive redefinir os cursos ofertados pela Unilab”, aponta.

Participam da comitiva o reitor da Unilab, Roque Albuquerque; a vice-reitora, Cláudia Carioca; a pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Artemisa Monteiro; a pró-reitora de Graduação, Rosalina Tavares; o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Carlos Henrique Pinheiro; o pró-reitor de Extensão, Segone Cossa; o pró-reitor de Planejamento, Célio dos Santos; o pró-reitor de Administração, Jonh da Silva; e o técnico em Audiovisual Vinícius Moraes.

Últimas missões ocorreram em 2013

A Comissão de Implantação da Unilab promoveu, entre 2008 e 2010, missões de prospecção a todos os países que compunham a CPLP àquela altura. Entre 2010 e 2013, foram realizadas também missões internacionais de docentes, pesquisadores e técnicos para a realização de projetos e parcerias.

Ao longo dos anos posteriores, as tratativas da Unilab com os países da CPLP, em nível institucional, ficaram prioritariamente restritas à articulação com as embaixadas brasileiras para a execução do processo seletivo de estudantes internacionais, em ações de inscrição, coleta e repasse de documentos, informações a candidatos e aplicação de provas.

À medida que a universidade foi se expandindo, cresceram também seus desafios, entre eles os que se referem à integração internacional, daí a importância de realizar nova missão institucional.

Categorias
Palavra-chave