Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Reunião com a Capes trata de oferta de disciplinas da Unilab via EaD a países de língua portuguesa

Data de publicação  06/03/2024, 14:14
Postagem Atualizada há 3 semanas
Saltar para o conteúdo da postagem

Participantes da reunião entre Unilab e Capes. Foto: Secom/Unilab.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) recebeu, no último dia 29 de fevereiro, visita da diretora de Educação a Distância da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Suzana Gomes. A Unilab pretende expandir a educação a distância para os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a Capes propõe a Mobilidade Virtual Internacional (Movi), via Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), como forma de efetivar essa oferta.

Diretora de Educação a Distância da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Suzana Gomes. Foto: Secom/Unilab.

Durante reunião entre o reitor da Unilab, Roque Albuquerque, a diretora da Capes, Suzana Gomes, e docentes da universidade, tratou-se de Programas Profissionais para Professores da Educação Básica de Biologia (ProfBio), Educação Inclusiva (ProfEI), História (ProfHistória) e Letras (ProfLetras), além da ampliação da oferta do Ciência é 10 (C10!) para estudantes egressos dos cursos da área de Ciências em vagas adicionais do Edital nº 25/2023, da UAB.

Reitor da Unilab, Roque Albuquerque. Foto: Secom/Unilab.

A diretora Suzana Gomes reforçou que a DED tem acento na Associação de Países de Língua Portuguesa e a associação já havia solicitado que fossem pensadas formas de intercambiar o acesso às disciplinas. Segundo Gomes, a Capes vem pensando como concretizar a internacionalização dos mestrados profissionais em diálogo com países de língua portuguesa, enfocando a formação de professores.

Outro ponto levantado seria fortalecer a mobilidade acadêmica, com a ideia de trazer professores internacionais e quatro estudantes de mestrado ao Brasil e levar a um dos países da CPLP a mesma quantidade de membros. “Contamos com o apoio da Unilab, que já tem o know how do diálogo com os países, pelo perfil da instituição”, pontua Suzana Gomes.

O reitor da Unilab, Roque Albuquerque, confirmou que a universidade maneja todas as temáticas pontuadas pela Capes. “Como os países enfrentam problemas no acesso à Internet, propomos a instalação de um centro de acesso à rede e uma biblioteca virtual com acervo voltado para as áreas de mestrado. Temos no nosso DNA a internacionalização e estamos tratando com São Tomé e Príncipe a possibilidade de um campus nosso no país e a proposta de que os estudantes cursassem um período lá e outro no Brasil”, informou.

Reunião ocorreu no gabinete da Reitoria, no Campus da Liberdade. Foto: Secom/Unilab.

Coordenadora do C10! na Unilab, a professora Kaé Stoll ressaltou que o curso de Biologia é um dos mais procurados na instituição pelos discentes internacionais, que após a graduação sinalizam interesse em voltar à universidade para um mestrado na área. “Seria interessante ofertar o Ciência é 10! via UAB para egressos da graduação que já retornaram aos seus países”, sublinha.

Suzana Gomes considerou que “a Unilab tem um plano sólido para edificar a educação a distância na instituição, é nítido que vocês vêm investindo muito em EaD”. Antes da reunião com o reitor, a diretora visitou também o Instituto de Educação a Distância (Iead) da Unilab, com o intuito de promover a Mobilidade Virtual Internacional (Movi).

Sistema Universidade Aberta do Brasil

Sistema UAB permite que instituições públicas de ensino superior levem cursos de qualidade, oferecidos na modalidade de educação a distância, a locais isolados do País, a partir da parceria governamental nas esferas federal, estadual e municipal. Seu propósito é contribuir para a Política Nacional de Formação de Professores, do Ministério da Educação, por isso, as ofertas são prioritariamente voltadas para a formação inicial de professores da Educação Básica. Atualmente, 70% das vagas vão para a formação inicial e continuada de professores e 30% para cursos na área de administração pública e desenvolvimento econômico, social e regional.

Com informações da CGCOM/CAPES.

Categorias
Palavra-chave