Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Estudantes de Guiné-Bissau comemoram 41 anos de independência do país

Data de publicação  17/09/2014, 12:20
Postagem Atualizada há 7 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

INDEPENDENCIA DE GUINÉ BISSAU

Entre os dias 19 e 24 de setembro, os estudantes guineenses da Unilab, em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex), realizarão uma vasta programação em comemoração aos 41 anos de independência do país africano. Palestras, jogos, caminhada, encontro com alunos da educação básica e apresentações culturais marcam a celebração deste ano na universidade, que tem como tema principal “Os Caminhos para o Programa Maior – o Desenvolvimento”.

O estudante do curso de Administração Pública da Unilab, Alfa Aliu Embaló, que faz parte da comissão organizadora do evento, afirma que o programa mínimo para o país foi a conquista da independência, idealizada por Amilcar Cabral. “Nossos pais e avós deram suas vidas para lutar pelo programa mínimo do nosso país. Agora, no nosso caso, nada nos impede para conquistar o programa maior, que é o desenvolvimento. É uma dívida que tenho com o meu país, é uma obrigação”, destacou Alfa Aliu Embaló.

A programação iniciará no próximo dia 19, às 16h, no Auditório do Campus da Liberdade, em que os estudantes vão discutir o tema “Educar para capacitar na consolidação do Estado”. O encontro será mediado pelo professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas, Carlos Airton Uchoa Sales Gomes. Na ocasião, os alunos se dividirão em grupos para debater pontos referentes à educação no país. A ideia é que os participantes elaborem um documento para ser entregue ao governo guineense.

No dia 20, às 16h30, haverá uma caminhada, com saída da Praça do Obelisco (ao lado dos Correios) em direção ao Alto de Santa Rita. Neste momento, os participantes farão uma reflexão sobre o processo de reconciliação em Guiné-Bissau. No dia 21, às 17h, será realizado um jogo de futsal entre os estudantes guineenses e timorenses. O amistoso ocorrerá no Ginásio Municipal Poliesportivo (localizado na Praça da Igreja Matriz de Redenção), com o apoio do Pastor Isaías.

Na próxima segunda-feira (22), o professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas, Hugo Consciência, fará uma palestra, às 10h, com o tema “Modernização de Administração Pública e Coprodução”, e a professora Susana Churka Blum, do Instituto de Desenvolvimento Rural, ministrará a palestra “Meio ambiente – Guiné-Bissau no desenvolvimento sustentável”, às 13h. Estas duas ações ocorrerão no Anfiteatro do Campus da Liberdade.

No dia 23, ainda como parte das atividades de formação, o professor do Instituto de Ciências Exatas e da Natureza, Lourenço Ocuni Cá, realizará um seminário para esclarecer dúvidas referentes à elaboração de cartas de recomendação e de curriculum vitae para estudantes interessados em ingressar no mercado de trabalho, além de explicar como se desenvolve um projeto de pesquisa.

Os estudantes guineenses Quedeco Ie e Manuário Nunes Correia realizarão a palestra “Guiné-Bissau – história, cultura e culinária” para alunos da Escola Maria Augusta Russo dos Santos, em Redenção. A atividade ocorrerá no dia 24, às 14h, na sede da escola.

A culminância da comemoração dos 41 anos de independência de Guiné-Bissau será no dia 24, a partir das 17h30, durante a programação da Quarta Cultural Maciço de Arte. No evento, serão realizadas apresentações que caracterizam a história, a arte e a cultura guineenses.

Os participantes das palestras receberão certificados. Todas as atividades são abertas ao público.

Confira a programação:

Estudantes do Campus dos Malês celebram aniversário de independência do país
Os estudantes guineenses, ligados ao Instituto de Humanidades e Letras (IHL) do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde, participam, entre os dias 24 e 26 de setembro, da celebração dos 41 anos de independência do país na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O evento, organizado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Afro-brasileiros e Indígenas da UFPB e pela Comunidade guineense em João Pessoa, terá poesias, músicas, palestras, oficinas e filmes.

O objetivo do encontro é proporcionar um momento de integração e de disseminação de usos, costumes e demais aspectos do país, além de permitir o intercâmbio de conhecimento entre Guiné-Bissau e o Brasil. Além dos estudantes, o professor da área de Filosofia do IHL, Cléber Lambert, participa deste evento.

Sobre a independência de Guiné-Bissau

Em 1956, Amílcar Cabral liderou fundação do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que, no início da década de 1960, iniciou a luta armada contra o regime colonial. Cabral foi assassinado em 1973, em Conacri. Apesar da morte do líder, a luta pela independência prosseguiu e o PAIGC declarou unilateralmente a independência da Guiné-Bissau em 24 de Setembro de 1973. Nos meses que se seguiram, o ato foi reconhecido por vários países. Portugal só reconheceu a independência da Guiné-Bissau em 10 de Setembro de 1974, após a Revolução dos Cravos. Este país foi a primeira colônia portuguesa no continente africano a ter a independência reconhecida por Portugal. Guiné-Bissau, atualmente, faz parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e da União Africana.

Categorias