Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

GOG apresenta aula espetáculo na Unilab sobre o Hip Hop no Brasil  

Data de publicação  12/12/2014, 17:40
Postagem Atualizada há 7 anos
Saltar para o conteúdo da postagem
O rapper e escritor GOG é uma referência do hip hop no Brasil.

O rapper e escritor GOG é uma referência do Hip Hop no Brasil.

Se GOG, nome artístico de Genival Oliveira Gonçalves, tivesse escolhido uma carreira musical, digamos, mais convencional, ligada a ritmos populares como forró ou samba, estaria, certamente, desfrutando dos louros da fama. Todavia, como ele mesmo diz, fez a opção por um estilo musical “do confronto, divergente e dissonante”. Isso, todavia, não impediu que ele se tornasse um dos pioneiros do movimento rap em Brasília. Para isso teve, no início, que enfrentar os preconceitos por contar e cantar as dores e injustiças do seu gueto. Não teve jeito. Para GOG era um caminho sem volta.

Hoje, o rapper e escritor GOG é uma referência do Hip Hop nacional, reconhecido no meio artístico como “o poeta”, dono de trabalhos reconhecidos nacionalmente, como o DVD “Cartão Postal Bomba”, e autor de letras que se tornaram clássicas, como “Brasil com P” – um poema escrito com dezenas de palavras iniciadas com a letra “P”.

Pontuou o poeta, com uma prosódia perfeita: “Pesquisa publicada prova/Preferencialmente/Preto pobre prostituta/Pra polícia prender/Pare pense por quê?”. E continuou sem perder o ritmo da prosa:Prossigo: Pelas periferias praticam perversidades Pm’s/Pelos palanques políticos prometem prometem/Pura palhaçada/Proveito próprio/Praias programas piscinas palmas”.

“Brasil com P” foi apenas uma das músicas que GOG mostrou, na noite desta quinta-feira (11), durante uma roda de conversa lítero musical sobre Hip Hop, no pátio administrativo da Unilab, Campus da Liberdade, em Redenção/CE. Foi, para ser mais exato, uma aula espetáculo, na qual GOG cantou, recitou e falou para uma plateia de músicos e estudantes da Unilab sobre sua trajetória de vida, que termina por se confundir com a própria história do hip hop no Brasil.

Foi um “passeio” de 30 anos de Hip Hop, resumido em 90 minutos de diálogo e muita música, no qual GOG, o poeta do rap nacional, por meio de relatos pessoais e profissionais, traçou um painel desse movimento. Poesia, militância, autoestima, racismo, violência, cultura e política foram alguns dos temas abordados pelo rapper.

“A Unilab trouxe-me várias reflexões. Estar nesse lugar me faz pensar sobre a essência das culturas africanas que, no Brasil, continuam sendo burladas e deturpadas, onde pastor evangélico continua taxando as religiões afro-brasileiras de macumbaria”, foram as palavras inicias de GOG, que, logo em seguida, lembrou dos primeiros passos do movimento Hip Hop no país.

DSC_2358

“O Hip Hop chega no Brasil, por volta 1983, 1984,  através da TV e do vídeo cassete, em imagens que exaltavam o movimento Break nos Estados Unidos. Ou seja, o hip hop não nasceu na periferia, na quebrada, mas chegou por meio dos filhos dos brancos que viajam para os EUA. Antes disso, só podia ser cantor quem tivesse dinheiro para montar uma banda. O hip hop me mostrou que poderia ser diferente. Eu precisava apenas de uma base para divulgar minhas ideias, que o hip hop poderia ser uma voz protagonista da revolução no Brasil”, lembrou GOG.

Para a articuladora de Arte e Cultura da Unilab, Vanéssia Gomes, esse foi um encontro de aprendizado. “GOG é uma referência do rap nacional, um nome de destaque na cena musical, tê-lo aqui, na Unilab, para essa troca de experiência de vida, é algo gratificante, é um prazer e uma honra para todos nós”, ressaltou Vanéssia.

A plateia respondeu de maneira participativa e atenta durante o diálogo com GOG, que destacou: “Nesse meio (rap) não basta ter uma boa voz, um bom refrão, uma boa letra, uma roupa bacana, um estilo agradável. Tem que ter postura e coragem. Eu não vim para oferecer entretenimento, para agradar. Eu vim para questionar, estremecer, criticar, dizer e cantar coisas que façam as pessoas pensar e querer mudar, porque, hoje, nossa comunidade não é mais uma comunidade carente, é uma comunidade ´querente´, uma comunidade que quer mais”.

DSC_2338

O recado parece que foi, sim, entendido. “Eu senti que ganhei e aprendi muito com esse encontro com o GOG. Ele é um músico consagrado, que tem uma história musical já firmada. Mas, é um cara humilde que veio compartilhar sua história e seu saber com todo nós. Assim, nós pudemos aprender com ele e ele (GOG) pôde também aprender com a gente. Isso me deixou emocionado e satisfeito”, destacou Fylcap, integrante do Grupo de Rap da Unilab e considerado, em 2008, o melhor cantor de hip hop da Guiné-Bissau.

A roda de conversa lítero musical com GOG sobre o hip hop foi organizada pela Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex).

Ônibus para o show de Gog na Bienal

O rapper fará apresentação na XI Bienal Internacional do Livro do Ceará. Será no sábado (13), às 19h, no auditório principal térreo. A Unilab oferece ônibus para 80 estudantes, saindo do Campus da Liberdade às 14h, retornando às 21h. É preciso realizar inscrição neste formulário: http://goo.gl/m1zWx4.

Categorias