Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Reitora da Unilab assumirá como ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Data de publicação  24/12/2014, 17:01
Postagem Atualizada há 7 anos
Saltar para o conteúdo da postagem
Nilma Lino Gomes (Foto: Júnior Panela)

Nilma Lino Gomes (Foto: Júnior Panela)

A presidenta Dilma Rousseff anunciou na noite de ontem (23) o nome de 13 ministros que farão parte da equipe de seu segundo mandato, entre os quais estava o da atual reitora pro tempore da Unilab, a professora Nilma Lino Gomes. Ela assumirá como ministra de Estado Chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). Juntamente com os demais ministros, Nilma toma posse no próximo dia 1º, às 17h30, em cerimônia no Palácio do Planalto. A transmissão de cargo acontece no dia 2, às 10h, em cerimônia no auditório do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Na tarde de segunda-feira (22), a reitora foi chamada à Brasília, mas o convite veio no dia seguinte. “Somente na terça-feira à tarde é que tive conhecimento do teor do chamado. O convite me surpreendeu, me emocionou muito e me deixou honrada e desafiada ao mesmo tempo. Sou grata pela confiança”, afirmou Nilma.

Sem filiação partidária, ela acredita que a articulação entre sua trajetória profissional e os objetivos da pasta da Seppir foram alguns dos motivos para a escolha de seu nome. “O meu trabalho e trajetória são públicos. Quem acompanha essa trajetória sabe que a luta por uma sociedade e escola democráticas, pela superação do racismo, pela construção de ações afirmativas e pela justiça social marcam as minhas escolhas de vida e profissional. A Seppir lida diretamente com essas questões”, completou.

A secretaria, com status de ministério, foi criada em 21 de março de 2003, Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, e tem como finalidade, entre outras, a formulação, coordenação e avaliação das políticas públicas afirmativas de promoção da igualdade e da proteção dos direitos de indivíduos e grupos étnicos, com ênfase na população negra, afetados por discriminação racial e demais formas de intolerância. A pasta surge em reconhecimento das lutas históricas do Movimento Negro brasileiro.


Reitora da Unilab

Ao lado do ministro Aloizio Mercadante, Nilma Lino Gomes assina o termo de posse (Foto: Letícia Verdi/MEC)

Ao lado do ministro Aloizio Mercadante, Nilma Lino Gomes assina o termo de posse (Foto: Letícia Verdi/MEC)

Nilma Gomes, que é docente do quadro da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), foi empossada como reitora pro tempore da Unilab no dia 1º de abril de 2013, pelo então ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Na ocasião, Mercadante destacou que ela era a primeira mulher negra a assumir a direção de uma universidade federal brasileira. Para Nilma, a experiência na Reitoria da Unilab é resumida numa palavra: desafio. “Não foi um lugar convencional de ser reitora, mas um reitorado pro tempore que traz especificidades para a ação de qualquer reitor ou reitora nessa condição. O desafio de lançar as bases, construir regulamentações, dar andamento às obras de infraestrutura e à expansão dos cursos, incrementar a pesquisa e a pós-graduação, aprimorar a extensão, o processo de seleção de estudantes e as relações institucionais dentro e fora do país têm sido um grande aprendizado para mim e para a equipe do reitorado”, pontua.

A reitora discursa durante a 1ª colação de grau da Unilab (Foto: Assecom/Unilab)

A reitora discursa durante a 1ª colação de grau da Unilab (Foto: Assecom/Unilab)

A experiência à frente da Unilab por quase dois anos, somada à sua trajetória como membro no Conselho Nacional de Educação, a participação na Andifes e nos fóruns de debates sobre África e sobre a questão étnico-racial são considerados um grande aprendizado pela pedagoga de quase 30 anos de serviço público. “Pretendo levar parte desse acúmulo para a Seppir e sei que encontrarei outros desafios. Mas também sei que não estou sozinha. Aliás, nunca estive. Ninguém se faz sozinho”, conclui.


A trajetória de Nilma Lino Gomes

Nilma Gomes, durante um dos eventos acadêmicos da Unilab (Foto: Assecom/Unilab)

Nilma Gomes, durante um dos eventos acadêmicos da Unilab (Foto: Assecom/Unilab)

Mineira de Belo Horizonte, Nilma Lino Gomes é pedagoga, graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 1988. Concluiu o mestrado em Educação também pela UFMG em 1994. É doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP). Mudou-se para Portugal, onde fez o pós-doutorado em Sociologia pela Universidade de Coimbra, em 2006. Integra o corpo docente da pós-graduação em educação Conhecimento e Inclusão Social -FAE/UFMG e do Mestrado Interdisciplinar em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis (UNILAB). Foi coordenadora Geral do Programa de Ensino, Pesquisa e Extensão Ações Afirmativas na UFMG (2002 a 2013) e, atualmente, integra a equipe de pesquisadores desse Programa. É membro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), Associação Brasileira de Antropologia (ABA), Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN) e é integrante da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, cargo para o qual foi recentemente reconduzida. Entre abril de 2013 e dezembro de 2014, foi reitora pro tempore da Unilab.

Com informações da EBC, Seppir e Andifes

Categorias