Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

“Círculos de Chegadas e Boas-Vindas” acolhem estudantes estrangeiros e de outras cidades do Brasil

Data de publicação  03/02/2015, 17:46
Postagem Atualizada há 7 anos
Saltar para o conteúdo da postagem

Começaram nesta terça-feira (3) os “Círculos de Chegadas e Boas-Vindas”, uma ação conjunta do Núcleo Interdisciplinar de Atenção às Subjetividades (Nias/Coest/Propae) com a Coordenação de Saúde e Bem Estar (Cosbem/Proad) para acolher os novos estudantes da Unilab, estrangeiros ou de outras cidades do Brasil.

O primeiro círculo ocorreu no anfiteatro da Unilab, no Campus da Liberdade, em Redenção/CE. Dispostos em uma roda, sentados sobre colchões, os estudantes ficaram à vontade para falar de expectativas e ouvir as valiosas experiências dos veteranos.

O psicólogo e gerente do Nias, Weslay Mendonça, e a psicóloga Larissa Silva conduziram o momento. Os profissionais levaram cartazes com palavras para que, a partir delas, os estudantes falassem sobre o que esperam nesta nova etapa da vida e também para que os veteranos passassem suas impressões da universidade e da mistura de sentimentos que toda mudança provoca. A conversa fluiu com palavras e expressões como “comida”, “família”, “relacionamento interpessoal”, “pais”, “amizade” e “discriminação”.

Recém-chegado da Guiné-Bissau, Eliézer Sanhai vai cursar Engenharia de Energias. Ele está empolgado com o curso, contudo, escolheu a palavra “discriminação” para abordar. “Para haver integração de fato, não pode ter discriminação. É necessário respeitar as diferenças”, alertou.

A angolana Helena Gunza, que está na Unilab há um ano e cursa Administração Pública, considera que, se houvesse mais conhecimento sobre a realidade africana, os preconceitos seriam minimizados. Entre as dificuldades, citou a saudade da família e a alimentação diferente. “Aqui aprendemos a viver sozinhos. Pai e mãe não vão fazer nada pela gente. Mas aqui também criamos outra família, quase ninguém vive sozinho, dividimos uma casa com duas, três pessoas, e isso ajuda a lidar com a saudade”, destacou.

Vinda de São Tomé e Príncipe, a estudante Vanda Camblé, do curso de Administração Pública, aconselhou aos colegas recém-chegados que voltassem as atenções ao máximo para o estudo. “Eu vim para cá, deixei minha família, para estudar. No meu país não tinha universidade pública, agora tem, mas ainda assim é preciso pagar um valor pela educação, então, estando aqui quero aproveitar o máximo para me qualificar”, afirmou.

Já Osnelly Osório, cabo-verdiana também do curso de Administração Pública, ressaltou os pontos positivos da cidade de Redenção, onde mora há um ano. “Me sinto bem e em casa. É uma cidade menor que Fortaleza [capital do Ceará], as pessoas acordam cedo e a chegada dos alunos da Unilab, vindos de diversos países, fez com que ficasse tudo mais alegre, com que as pessoas desenvolvessem o empreendedorismo. A amizade com os estudantes da Unilab de todos os cantos é o que mais gosto e espero voltar para casa formada, para dar orgulho aos meus pais e construir minha família”, declarou.

Os estudantes do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA, participam dos círculos nesta quarta-feira (4), das 14h às 17h, na sala 8. No dia 11, das 9 às 12h, será realizado novamente no Campus da Liberdade, na sala de aula 1.

Sobre os Círculos

Os “Círculos de Chegadas e Boas-Vindas” são destinados ao diálogo intercultural e à promoção da integração estudantil, entre os estudantes veteranos e novatos da Unilab. Este encontro tem como objetivo promover apoio psicossocial em meio à realidade de transformações a que estão submetidos aqueles que ingressam no ensino superior, especialmente os estudantes estrangeiros e os oriundos de outras cidades do Brasil.

“A isto se soma, no contexto da Unilab, o necessário aprendizado de lidar com relações interpessoais caracterizadas pela multiplicidade étnica, cultural, de origem, além de outras diversidades. Daí a importância do estabelecimento, nos primeiros meses de universidade, de uma rede de apoio psicossocial. Tal rede colabora para a socialização, diminuindo os riscos de abandono estudantil e facilitando a inserção do estudante neste novo contexto”, explica Weslay Mendonça.

Com isto, os “Círculos de Chegadas e Boas-Vindas” buscam promover a permanência, fortalecendo vínculos interpessoais e potencializando a inserção dos estudantes novatos. “É um momento de troca de vivências, primeiras impressões, sonhos compartilhados, choques culturais, saudades, compromissos pessoais e coletivos, em um sentimento compartilhado de ‘boas vindas’ e integração estudantil”, detalha Mendonça.

Veja abaixo as datas dos próximos círculos:

04/2 – Campus dos Malês

11/2 – Campus da Liberdade

 Acesse o convite

Categorias