Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Sueli Saraiva, professora da Unilab, recebe menção honrosa em Prêmio Fernão Mendes Pinto

Data de publicação  10/03/2016, 16:15
Postagem Atualizada há 6 anos
Saltar para o conteúdo da postagem
Professora da Unilab, Sueli Saraiva, foi agraciada com menção honrosa no Prêmio Fernão Mendes Pinto de 2014, divulgado no último dia 2 pela Associação das Universidades de Língua Portuguesa (Aulp). Foto: Assecom/Unilab.

Professora da Unilab, Sueli Saraiva, foi agraciada com menção honrosa no Prêmio Fernão Mendes Pinto de 2014, divulgado no último dia 2 pela Associação das Universidades de Língua Portuguesa (Aulp). Foto: Assecom/Unilab.

A professora da Unilab, Sueli Saraiva, foi agraciada com menção honrosa no Prêmio Fernão Mendes Pinto de 2014, divulgado no último dia 2 pela Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP). O prêmio é um reconhecimento à excelência de sua tese de doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, “O pacto das elites e sua representação no romance em Angola e Moçambique”, defendida na Universidade de São Paulo (USP), em 2013, sob orientação da professora Rita Chaves.

Professora adjunta do curso de Letras da Unilab, vinculado ao Instituto de Humanidades e Letras (IHL), Sueli Saraiva considera a própria trajetória “ousada”: ingressou no curso de Letras da USP às vésperas de completar 30 anos, passou no vestibular em 50º lugar e fez toda a graduação no curso noturno.

Perto de completar um ano de Unilab, a pesquisadora reflete sobre o caminho trilhado, reforça a crença na importância das oportunidades e da educação de qualidade, principalmente para a juventude pobre, e entrelaça sua história à dos jovens estudantes da Unilab, a quem dedica o prêmio.

“No próximo dia 30 completarei, com muita alegria, o meu primeiro ano como docente nesta universidade da esperança. Estar participando da vida de jovens, cuja trajetória é, tristemente, semelhante à minha quanto à luta por seus direitos como cidadãos e cidadãs, reforça a minha vontade de persistir, criticar e compartilhar conhecimento. A eles e elas dedico, de todo o coração, essa homenagem, merecedores que são de muitas ‘menções honrosas’ pela sua determinação e desejo de mudança”, declarou.

Sobre a tese

No âmbito das literaturas africanas de língua portuguesa e na linha da literatura e sociedade, onde a autora concentrou suas pesquisas de pós-graduação, a tese é um estudo comparado entre romances contemporâneos de Angola e Moçambique, que trazem como temática comum a crítica às elites econômicas e políticas desses países, muitas vezes oriundas das heroicas lutas anticoloniais e que agora se alinham à elite internacional num jogo consciente de autoalienação. “O ‘pacto’ cada vez mais consolidado favorece um clube formado por membros de todos os continentes e países, desenvolvidos ou não, tendo como plataforma comum o egoísmo social, o total descompromisso com as demandas da população. Aos não pactários cabem a resistência e a persistência no embate em pensamento e ações contra tal estado de coisas”, afirma Sueli.

A AULP, em parceria com o Instituto Camões e a CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa –, publicará em breve a tese da pesquisadora na coleção de trabalhos laureados pela Associação. Também é possível ler a pesquisa no site da Biblioteca Digital USP – Teses e dissertações.

Categorias