Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Palestra aborda “Os samangolés: africanos livres no Ceará (1835-1865)”

Data de publicação  16/03/2016, 15:14
Postagem Atualizada há 6 anos
Saltar para o conteúdo da postagem
Navio Negreiro. Rugendas. 1830

Navio Negreiro. Rugendas. 1830

O Grupo de Pesquisa “Trabalho, Cultura e Migrações no Ceará”, da Unilab, promove a palestra “Os samangolés”: africanos livres no Ceará (1835-1865), com o professor Jofre Teófilo Vieira. O evento ocorre no próximo dia 21, às 16h, no auditório do bloco administrativo do Campus da Liberdade, em Redenção/CE.

A palestra apresenta o resultado da pesquisa de Jofre Teófilo na Biblioteca Nacional e no curso de doutorado em História da Universidade Federal do Ceará (UFC), em que investigou a experiência histórica dos africanos livres no Ceará entre 1835 e 1865.

Após 1831, a lei que proibiu o tráfico de africanos para o Brasil apontava que todos os desembarcados a partir daquela data não poderiam mais ser submetidos à escravidão, contudo, não foram tratados como homens plenamente livres. Foi neste contexto que, em 1835, africanos foram resgatados do tráfico no litoral de Fortaleza, capital da província do Ceará, e imediatamente cedidos a diversos particulares para que estes pudessem tratar da sua educação, como foi chamado o principal mecanismo de controle sobre este grupo de africanos. “Obrigados ao trabalho compulsório, foram destinados aos mais diferentes serviços e submetidos a uma exaustiva carga de trabalho. Os africanos livres ousaram resistir a tais condições e a serem tratados como escravos. As suas histórias revelam muitas derrotas, mas também importantes vitórias. Afinal, o que estava em disputa era a liberdade, ainda que precária”, explica o pesquisador.

O coordenador do grupo de pesquisa, Edson Holanda, professor do Instituto de Humanidades e Letras (IHL) da Unilab, destaca a relevância da temática. “A pesquisa do professor Jofre Teófilo traz contribuições fundamentais para problematizar os discursos que negam a presença e a importância de africanos no processo de formação social do Ceará”, disse.

Sobre o palestrante

Jofre Teófilo Vieira é mestre em História Social pela Universidade Federal do Ceará (UFC), doutorando na mesma instituição e professor da Educação Básica do Estado do Ceará. Entre 2014 e 2015 foi bolsista do Programa Nacional de Apoio à Pesquisa (PNAP) da Fundação Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro). Tem como área de atuação História do Brasil Império e História Social da Escravidão.

Categorias