Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab ganha mais laboratórios e espaços para desenvolvimento de aulas, pesquisa e extensão

Data de publicação  27/01/2021, 09:18
Postagem Atualizada há 5 meses
Saltar para o conteúdo da postagem
Diretor do Instituto de Desenvolvimento Rural, Lucas Luz, e pró-reitor de Planejamento, Célio dos Santos, em novo laboratório.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) concluiu a instalação de mais laboratórios para aulas, pesquisa e extensão: Laboratório de Genética e Biologia Molecular, Laboratório de Fitopatologia, Laboratório de Geomáquinas e Geociências e o Laboratório de Farmacotécnica e Produção de Medicamentos, todos no Campus das Auroras, em Redenção/CE.

O professor Lucas Luz, diretor do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), demonstra satisfação com o recém-entregue Laboratório de Genética e Biologia Molecular, compartilhado entre IDR e Icen (Instituto de Ciências Exatas e da Natureza). “Aqui vamos desenvolver as atividades de genética, biologia molecular, melhoramento de plantas, a parte mais sofisticada, mais avançada de biotecnologia. O tema do laboratório é transversal, ele está vinculado a disciplinas específicas, como genética, tanto faz ser genética do IDR, quanto da Biologia, do Icen, quanto ser da Enfermagem, a parte de biologia molecular também. No IDR, são as disciplinas de Genética, Biologia Molecular, Melhoramento de Plantas e Fitotecnias no geral. Se pegarmos os outros institutos dá umas dez disciplinas (que utilizam o laboratório)”, disse.

O equipamento menor se chama termociclador e serve para fazer uma PCR, reação molecular bioquímica que é utilizada para várias análises, animais e vegetais.
O equipamento maior se chama fotodocumentador, é um material que faz a leitura de géis, lê o produto gerado pelo termociclador, dá a tradução do que o PCR fez.
Centrífugas refrigeradas: estruturas para rotação em amostras de DNA, RNA, sangue, para separação de fases em reações.
Balança e pipetas, materiais necessários em qualquer laboratório.

Há ainda o laboratório de Fitopatologia e o de Geomáquinas e Geociências, este último uma central de computadores, com os equipamentos de topografia, geoprocessamento, que vão dinamizar as aulas desses setores. “É um laboratório computacional, funciona da seguinte forma: os alunos vão a campo e fazem as medições, coletam imagens, usam GPS, drones – que nós já adquirimos -, fazem a medição em terra e voltam para cá com os dados. E aqui aprendem a utilizar esses dados, transformam em mapas, estruturas tridimensionais, é aqui que ocorre o processo de transformar o dado bruto num dado real, assimilado. E tem também toda a interatividade da sala, tem o quadro digital, data show, tem um uso com a metodologia bem diversa, não é um laboratório de informática. São 50 máquinas”, explica Lucas Luz.

Laboratório de Geomáquinas e Geociências.

O diretor do Instituto de Ciências da Saúde, Thiago Moura, apresentou o Laboratório de Farmacotécnica e Produção de Medicamentos, onde fica o maquinário para produção de comprimidos, pomadas, pastas, produção específica da Farmácia.

Thiago Moura, diretor do Instituto de Ciências da Saúde, com o primeiro lote de álcool em gel, para testagem, no Laboratório de Farmacotécnica.

O laboratório teve seu pontapé com o projeto de produção de álcool em gel na universidade, para consumo pela comunidade acadêmica, na esteira dos cuidados contra a Covid-19. O primeiro lote de álcool em gel, para testagem, foi concluído no último dia 22 de janeiro.

“Acabamos de fazer a instalação de mais um maquinário, a envazadora, que é justamente para a gente ter uma qualidade do produto sem estar pegando muito e não ter perdas. O laboratório é específico de sala de aula, da graduação, e vai ser uma perna para pesquisa e extensão universitária”, salientou Thiago.

Residências Universitárias estão 97,82% prontas

A obra de construção das residências universitárias alcançou 97,82% e tem conclusão prevista para o primeiro trimestre de 2021. São 15.3030,76 m² de área construída, com dois blocos, onde cada bloco é constituído por duas edificações interligadas por passarelas, sendo a da frente composta por seis pavimentos (térreo + cinco).

O edifício de trás, localizado em cota mais elevada do terreno e ligado ao anterior por meio de passarela, é composto por um total de cinco pavimentos (térreo + 4). A área construída por bloco é de 7.651,88 m²: são 174 quartos em cada bloco – com capacidade para 348 alunos por bloco, ou seja, 696 estudantes ao todo -, 5 pontos comerciais e uma cozinha comunitária, lavanderia comunitária na cobertura do edifício posterior e 4 elevadores, dois em cada edificação. O valor da obra, até o momento, é de R$ 34.416.326, 23.

Laboratórios recebem investimento de mais de R$900 mil

A universidade investiu R$919.700,63 para melhorar e adequar laboratórios já existentes. Foi o caso do Laboratório de Hidráulica, Máquinas Agrícolas e Agrometeorologia (LAHMAG), compartilhado entre o Instituto de Engenharias e Desenvolvimento Sustentável (Ieds) e IDR, para o qual foi feita aquisição de material permanente, a fim de atender as necessidades dos cursos de Engenharia de Energias e Engenharia da Computação, totalizando R$ 177.135,05.

Houve ainda aquisição de vidrarias para laboratórios do Icen, IDR, ICS e Ieds, no valor de R$ 205.934,96, além de aquisição de equipamentos para o Laboratório de Ciências dos Materiais (Ieds), na quantia de R$176.071,84.

O Laboratório de Máquina Agrícolas foi contemplado com aquisição de máquinas, implementos e equipamentos agrícolas visando suprir a demanda da disciplina de máquinas agrícolas e mecanização agrícola, com investimento de R$ 165.851,02.

Houve ainda aquisição de equipamentos e materiais de consumo específicos no total de R$ 194.707,82 para atender às necessidades apresentadas no Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (PPD) do IDR: Tecnologia social para produção sustentável de alimentos – quintais produtivos com gestão familiar: produzindo, consumindo e progredindo.

O pró-reitor de Planejamento da Unilab, Célio dos Santos, ressalta o trabalho, junto com a gestão superior, de captação de recursos e remanejamento para que as adequações fossem concluídas. “As demandas que já estavam bem avançadas em licitação e o principal motivo de não compra seria o recurso, nós buscamos recursos via emendas parlamentares, via remanejamento orçamentário de custeio para investimento, pois, com a pandemia, algumas atividades foram paralisadas, nós economizamos em algumas despesas e fizemos, junto ao MEC, o remanejamento de custeio para investimento, o que proporcionou algumas ações de compra de materiais”, informou.

Biblioteca dos Palmares passa por adequações

O remanejamento da Biblioteca Setorial de Palmares está sendo concluído.

A Biblioteca Setorial da Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape/CE, passou por adequações que viabilizaram seu remanejamento do Bloco Administrativo II para o Bloco Acadêmico I, visando o atendimento ao Plano de Acessibilidade Arquitetônica, estabelecido pela Pró-Reitoria de Planejamento da Unilab (Proplan).

A Biblioteca compreende uma área total de 223,08 m2, sendo constituída por áreas de leitura/estudos compartilhados, além de 12 unidades de estudo individuais, 2 salas de estudos em grupo e 6 unidades de acesso à internet.

Laboratório de Brinquedoteca

Disponibilizou-se, em atendimento ao Plano de Uso dos Espaços da Unilab, espaço acadêmico para que o curso de Pedagogia possa exercer, em sua plenitude, as atividades laboratoriais das ações pedagógicas. A Proplan destaca o uso do espaço de uma sala de aula no Bloco Acadêmico I, com área de aproximadamente 50m².

Categorias