Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Pró-reitora da Unilab se reúne com presidente de Guiné-Bissau sobre cooperação internacional

Data de publicação  18/05/2021, 14:57
Postagem Atualizada há 4 meses
Saltar para o conteúdo da postagem
Da esquerda para a direita: pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Artemisa Monteiro;
embaixador do Brasil na Guiné-Bissau, Fábio Franco; e o presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló. Foto: Prointer/Unilab.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) está em missão oficial na Guiné-Bissau, por meio de sua pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Artemisa Monteiro, entre os dias 10 e 25 de maio.

O presidente da República de Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, recebeu Artemisa Monteiro a convite da ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e Comunidades, Suzi Carla Barbosa, em articulação com o embaixador do Brasil na Guiné-Bissau, Fábio Franco.

Da esquerda para a direita: pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Artemisa Monteiro; ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e Comunidades, Suzi Carla Barbosa; e o
embaixador do Brasil na Guiné-Bissau, Fábio Franco. Foto: Prointer/Unilab.

Na reunião, as autoridades discutiram parcerias a fim de potencializar a cooperação internacional realizada via Unilab. A pró-reitora apresentou a missão da instituição e entregou relatório sobre guineenses que estão sendo formados pela universidade: até agora, 590 concluíram o ensino superior na Unilab e outros mais de 500 estudam na universidade atualmente.

“Tivemos uma receptividade muito positiva pelo presidente e a ministra dos Negócios Estrangeiros quanto à sustentabilidade da cooperação internacional promovida pela Unilab. Ainda essa semana haverá um retorno para discutirmos como vai ser a prospecção de financiamento para contrapartida para os estudantes da Guiné-Bissau na Unilab”, informa Artemisa Monteiro. O presidente de Guiné-Bissau afirmou também o desejo de visitar a Unilab assim que a pandemia de Covid-19 ceder.

Audiência com o ministro da Educação
Nacional e Ensino Superior, Cirilo Djaló. Foto: Prointer/Unilab.

Artemisa Monteiro reuniu-se ainda com os ministros da Educação Nacional e Ensino Superior; da Saúde Pública; e da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Cirilo Djaló, Dionísio Cumba e Marciano Barbeiro, respectivamente, além de representantes da Universidade Amílcar Cabral, da Universidade Colinas de Boé e da Escola Nacional de Administração.

A missão oficial terá, nos próximos dias, reunião com representantes locais que integram os Pontos Focais da Rede de Instituições Públicas de Educação Superior (Ripes) e do Projeto de Fortalecimento do Ensino, Pesquisa e Extensão para a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Consan), projetos internacionais vinculados à Unilab.

“A Unilab é bem presente na sociedade guineense, muito bem conhecida, é considerada a universidade fora da Guiné-Bissau que mais tem guineenses como estudantes. Isso, para mim, é muito bom ouvir dos governantes, das pessoas na rua, até no aeroporto quando nos identificam através de crachá, das pastas da universidade. Estamos em casa e isso nos abre portas com os governantes, para que eles consigam visualizar as potencialidades da universidade”, pontuou Artemisa Monteiro.

Categorias
Palavras-chave

CONTEÚDO RELACIONADO