Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Projeto Diálogos promove novo encontro “Dialogando”, dia 26, evocando memórias e homenageia ancestralidades do CEU Reis Tupinambá

Data de publicação  23/08/2021, 11:48
Postagem Atualizada há 4 semanas
Saltar para o conteúdo da postagem

Dia 26 (quinta-feira), a partir das 18h30, no canal do Youtube do projeto de extensão Diálogos Unilab, será mais um “Dialogando”, com a live Batuque de Omõrisà: Memórias e Ancestralidades Comunidade Espiritual de Umbanda do Grande Bom Jardim (CEU) Reis Tupinambá.

O evento virtual compõe a programação de Lançamento do livro “Memória e Cultura de Terreiro: Conjunto, e contará com a presença da família espiritual do CEU Reis Tupinambá, onde o líder espiritual do ilê Reis Tupinambá é o babalorixá e zelador de santo Marcos Amorim Ty Odé.

O evento é parte da programação de lançamento do livro “Memória e Cultura de Terreiro: Conjunto da Obra do CEU Reis Tupinambá”, que teve cerimônia, no último dia 12 de agosto, em evento presencial, no ilê Reis Tupinambá, no bairro Granja Lisboa. Para a ocasião, a produção foi mediada pelo Ponto de Memória do Grande Bom Jardim. 

A live busca promover a manifestação pública da família espiritual CEU Reis Tupinambá, ritualística sagrada envolvendo sacerdotes e filhos de santo da casa evocando suas memórias e reverenciando as suas ancestralidades. O evento será realizado em uma quinta-feira, dia consagrado ao Orixá Oxossi/Odé, energia que mata a miséria e a fome com o seu Ofá, e dia 26 de agosto é a data que o Candomblé reserva ao Orixá Omolu/Obaluaiê, energia da cura, da terra, protetor da saúde. A escolha da data tem fundamentação espiritual. 

A sessão do Dialogando será mediada pelo mestre de Capoeira, Ricardo Nascimento, professor e coordenador de Arte e Cultura da Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex/Unilab), com os convidados: Mãe Cíntia de Maria Padilha – Intérprete do Afoxé Omõrisá Odé e do Bloco do Zé Almir; Pai Marcos Amorim Ty Odé – Sacerdote de Umbanda. Iniciado no Candomblé. Liderança Comunitária; Ícaro Amorim Martins – Mestre em Ensino de História. Conselheiro do Ponto de Memória do Grande Bom Jardim; Pai Branco de Quebra Barreira – Filho da casa de Reis Tupinambá e Sacerdote de Umbanda.

Sobre a obra

O “Memória e Cultura de Terreiro”: Conjunto da Obra do CEU Reis Tupinambá” é uma obra que remete à história e cultura afro-brasileira, às identidades negras, à memória dos povos de terreiro, à valorização da Umbanda e às diversas formas de propagar os modos de existir ancorados na tradição religiosa afro-indígena sincretizada com o catolicismo. A obra reúne toda a história do CEU Reis Tupinambá até aqui, toda a sua prática de defesa da Umbanda, articulada a outras expressões afro-brasileiras, notadamente ao Afoxé Omõrisá Odé e ao Bloco do Zé Almir. O livro, escrito e organizado por Ícaro Martins, tem prefácio assinado por Fabiano Piúba, secretário da Cultura do Estado do Ceará, e orelha de Adriano Almeida, Ponto de Memória Grande Bom Jardim. 

Sobre o Grande Bom Jardim

O Bom Jardim é um bairro de Fortaleza, Ceará, onde moram 37.758 pessoas (IBGE, 2010). Devido sua ligação cultural e social com outros quatro bairros (Granja Portugal, Granja Lisboa, Canindezinho e Siqueira), a região é também conhecida como Grande Bom Jardim e engloba mais umas 20 comunidades não reconhecidas oficialmente como bairros, o que amplia a população para 204 mil pessoas, ou 8,33% da população da capital. Fonte: Movimento Saúde Mental.

Categorias