Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

I Curso Internacional Amílcar Cabral de Ensino Superior inicia em 14 de janeiro

Data de publicação  21/12/2021, 10:04
Postagem Atualizada há 4 semanas
Saltar para o conteúdo da postagem
A morte de Amílcar Cabral (político, agrônomo e teórico marxista da Guiné-Bissau e de Cabo Verde) intensificou a luta de libertação e culminou na proclamação do Estado Nacional da Guiné-Bissau em 24 de setembro de 1973 | Foto: AFP/Getty Images

Acontece entre os dias 15 de Janeiro e 11 de fevereiro de 2022, via plataforma Zoom,  I Curso Internacional Amílcar Cabral de Ensino Superior. O público são estudantes de ensino superior, organizações universitárias, organizações da sociedade civil e  movimentos sociais. A inscrição far-se-á mediante uma carta de apresentação do candidato, justificando seu interesse na realização de curso, mais um currículo resumido de cinco (5) linhas, enviados para o endereço de e-mail ricardino@unilab.edu.br. Haverá certificação.


A realização do curso é fruto de um Djuntamon (expressão em criolo que remete a uma “união de forças” ou, literalmente, a “juntar as mãos”) entre a Universidade Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), o Observatório de Estudos da Democracia (OED), a Rede Nacional de Associações Juvenis (Renaj), a Associação de Estudantes Guineenses (AEGU), a Associação de Estudantes Cabo-Verdianos (AECVU), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), o Projeto Contributo (PC), o Projeto de Extensão Sociologia Africana (PESA), o Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE) e o Djuntamon Guiné-Bissau (DGB).

Os organizadores propõem coletivamente eixos temáticos sobre a herança metodológica e epistêmica de Amílcar Cabral em torno dos desafios de conhecimento, cidadania, direitos, democracia, educação, resistência e política externa. A partir de suas obras, querem entender, sobretudo, os fundamentos da crise africana e as condições de possibilidade da independência, tendo como recurso um conhecimento e o lugar da episteme cabralista com objetivos de entender a sua contribuição conceitual, nos períodos após a independência, sua atualidade e possíveis limites, no contexto da democratização.

Metodologia 

A metodologia consistir-se-á em aulas expositivas e seminários temáticos: leitura obrigatória dos textos, na perspectiva crítica, reflexiva e dialógica, de acordo com os conteúdos dispostos no plano do curso. No entanto, o diálogo estabelecido em sala de aula virtual será de fundamental importância para perceber a apropriação relacional e crítica dos conteúdos e dos conceitos por parte da/o aluna/o. O acesso às vídeoaulas e aos certificados serão disponibilizados de forma totalmente gratuita aos estudantes. Todas as informações sobre certificados e transmissões estarão disponíveis na página do Observatório de Estudos da Democracia no Facebook.

Programação

Dia 14|01|22 

SESSÃO 1: Conhecimento, marxismo e a cultura 

Sábado Horário: 13h (Brasil), 15h (Cabo Verde), 16h (Guiné-Bissau), 16h (Portugal) 

– Amílcar Cabral, colonização do saber e a naturalização dos conceitos. 

– Conhecimento e práxis na tradição marxista 

– Caráter epistemológico dos conceitos teóricos cabralistas 

– Relação entre a crise do conhecimento e a crise africana

– Pos-colonialíssimo, poesia, literatura e identidade cultural

– Papel do intelectual e a contribuição da cultura nacional

Dia 21|01|22 

SESSÃO 2: Sociedade, estado e a democracia

Sábado Horário: 13h (Brasil), 15h (Cabo Verde), 16h (Guiné-Bissau), 16h (Portugal) 

– Amílcar Cabral e a teoria política contemporânea 

– Estado, classe, nação etnia e identidade.

– Democracia, justiça e governabilidade.

– Ética Política, cidadania e governança.

– Políticas públicas e processos de transformação 

– Reforma do Estado e a diáspora acadêmica

 

Dia 28|01|22

SESSÃO 3: Direitos, cidadania e resistências.

Sábado Horário: 13h (Brasil), 15h (Cabo Verde), 16h (Guiné-Bissau), 16h (Portugal) 

– Amílcar Cabral e a dignidade individual e coletiva

– Direitos ambientais e ecológicos

– Direitos sociais e políticos

– Direitos culturais e artísticos 

– Direitos dos territórios e da terra

– Direitos das mulheres e dos jovens

– Direitos das crianças e dos trabalhadores 

Dia 04|02|22

SESSÃO 4: Desenvolvimento, educação e política externa

Sábado Horário: 13h (Brasil), 15h (Cabo Verde), 16h (Guiné-Bissau), 16h (Portugal) 

– Amílcar Cabral, desenvolvimento e a teoria da dependência.  

– Cooperação internacional e indústrias extrativas

– Cooperação regional e solidariedade Sul Sul

– Cooperação África Brasil de ensino superior

– Amílcar Cabral fala da educação como alavanca

Dia 11|02|22

SESSÃO 5: Atualidade e a renovação dos conceitos de Cabral

Sábado Horário: 13h (Brasil), 15h (Cabo Verde), 16h (Guiné-Bissau), 16h (Portugal). 

– Amílcar Cabral e a naturalização dos conceitos 

– Conteúdos e fundamentos da dignidade humana

– Limites conceituais e os problemas atuais: a herança negativa da luta armada 

– Soberania intelectual e novas perspectivas analíticas 

– Amílcar Cabral, fidjus dibideras e a renovação conceitual. 

Categorias
Palavras-chave