Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Inscreva-se para o III Seminário Amefricanidades: pensamentos feministas para a descolonização de Abya Yala

Data de publicação  11/03/2022, 09:49
Postagem Atualizada há 4 meses
Saltar para o conteúdo da postagem

Entre os dias 8 e 29 de abril, acontecerá, em formato virtual, o III seminário “Amefricanidades: pensamentos feministas para a descolonização de Abya Yala”. O evento, programado para a plataforma Google Meet, é organizado pelo Projeto de Extensão Sobre o Corpo Feminino-Literaturas Africanas e Afro-brasileiras (ProEx/Fluxo contínuo- Unilab), em parceria com a Rede Feminismos, Cultura e Poder. Para participar, basta realizar a inscrição por meio de formulário eletrônico até o dia 6 de abril. Todas as informações serão repassadas às/aos inscritas(os) pelo e-mail informado no ato do preenchimento.

O curso tem por objetivo apresentar o pensamento de feministas de Abya Yala (América Latina) e seus aportes contemporâneos, colocando em diálogo as produções intelectuais de mulheres negras situadas em diversos territórios e contextos de América Latina.

São convidadas a participar todas as pessoas interessadas: estudantes de Letras, Humanidades, História, Sociologia, Antropologia e Pedagogia da Unilab; estudantes e pesquisadoras da área de gênero, interseccionalidade, movimento da negritude, panafricanismos, pensamento afro-diaspórico e decolonial, relações étnico raciais, teorias queer, estudantes ou graduados nas áreas de Ciências Sociais e humanas e ativistas de movimentos sociais e culturais. Certificados de assistência serão encaminhados a todas as pessoas que assistam 75% dos encontros.

Programação

A abertura do evento ocorre com a palestra da profa. Dra. Luana Antunes (Unilab/ Sorbonne Université), abordando os aportes das ativistas e escritoras afro-martiniquesas Suzanne Cesaire e Paulette Nardal, ambas impulsoras do movimento da negritude.O texto “A grande Camuflagem”, traduzido recentemente ao português, será pauta de discussão.

Na quinta-feira, 14 de abril: debate do filme Ori, de Beatriz Nascimento, historiadora e ativista feminista antirracista afro-brasileira, apresentado por Geyse Anne Souza da Silva, bacharela em Humanidades e licencianda em Pedagogia pela Unilab, juntamente com Banuma Alberto Caetano Pinto, mestranda em Artes Cênicas na Universidade Nova Lisboa, Portugal, e Licenciada em Sociologia pela Unilab.

Na sexta-feira, 22 de abril, o curso abordará o pensamento da feminista chicana, Glória Anzaldúa, com o texto “Como domar uma língua selvagem”, capítulo da sua mais importante obra “A fronteira/Borderlands”. Estarão apresentando os debates, a bacharela em Humanidades (Unilab) e mestranda em antropologia (UFSCar), Fatumata Djarai Balde, e Dayane da Silva Moreira, bacharela em Humanidades (Unilab), Assistente Social (FAC) e licencianda em pedagogia pela Unilab.

No último encontro, dia 29 de abril de 2022, a Dra. Ineildes Calheiro, pesquisadora do grupo África Contemporânea (Unilab), junto com Ana Rochelly Cavalcante, assistente Social e mestranda em Serviço Social pela UECE, trarão para o debate o feminismo decolonial, a partir do texto da reconhecida ativista feminista afro-dominicana,
Yuderkys Espinosa “Por que é necessário um feminismo decolonial?”.

Categorias
Palavras-chave

CONTEÚDO RELACIONADO