Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

“Mapa Participativo de Enfrentamento à Fome do Grande Bom Jardim” recebe Menção Honrosa no I Prêmio Anpocs de Extensão Universitária

Data de publicação  22/11/2022, 13:16
Saltar para o conteúdo da postagem

A ação de extensão e pesquisa “Mapa Participativo de Enfrentamento à Fome do Grande Bom Jardim”, da qual faz parte o Grupo Diálogos de Extensão e Pesquisas Interdisciplinares, da Unilab, foi premiada com Menção Honrosa no 1º Prêmio Anpocs (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais) de Extensão Universitária, no 46º Encontro Nacional da entidade, em outubro de 2022.

O 1º Prêmio Anpocs de Extensão reconhece iniciativas relevantes de extensão universitária no Brasil, tendo como parâmetros a relevância do tema e abordagem; o impacto social da proposta e o perfil do público beneficiado; o caráter inovador da proposta; a demonstração e comprovação dos impactos e alcances do projeto.

O Grupo Diálogos de Extensão e Pesquisas Interdisciplinares atua no Grande Bom Jardim, em Fortaleza/CE, desde 2015, pautado pelo interesse social e através de projetos de extensão e pesquisa. O grupo é vinculado ao Instituto de Humanidades da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (IH/Unilab), ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e ao Núcleo Fortaleza do Observatório das Metrópoles.

Coordenador do Grupo Diálogos e participante do Mapa Participativo, o professor da Unilab Eduardo Machado avalia que esse tipo de ação de extensão e de pesquisa afirma uma Universidade que reconhece, valoriza e constrói parcerias e ações conjuntas com a sociedade civil, particularmente com agentes popular-comunitários, fortalecendo o enfrentamento de graves problemas e questões sociais e afetando positivamente a formulação, execução, gestão e avaliação de sistemas e de políticas públicas.

Sobre o Mapa Participativo

O “Mapa Participativo de Enfrentamento à Fome do Grande Bom Jardim” é uma iniciativa do Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza (CDVHS), em parceria com o Grupo Diálogos, com o Núcleo de Pesquisa e Extensão em Geografia da Alimentação (Nupega), vinculado ao Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC), com 19 cozinhas comunitárias do Grande Bom Jardim e com a Associação de Catadores e Catadoras de Material Reciclável do Bom Jardim (Ascabomja).

A premiação evidencia a relevância social e acadêmica da extensão no enfrentamento de problemas sociais, na parceria com agentes da sociedade civil e política, na construção de conhecimentos científicos relevantes e na formação acadêmico-profissional dos discentes. O Mapa Participativo produziu conhecimento científico relevante e de modo participativo, gerando um Relatório científico, uma Síntese diagnóstica e propositiva e a Carta da Rede de Cozinhas Comunitárias do Grande Bom Jardim. Evidenciou a localização das cozinhas comunitárias e as áreas atendidas, além das comunidades mais vulneráveis e com maior gravidade da fome, gerando dados, na escala das quadras, que subsidiam a atuação da sociedade civil e de órgãos e gestores públicos.

O Mapa Participativo dota de maior visibilidade o enfrentamento à fome e a luta cotidiana das cozinhas comunitárias, particularmente do Grande Bom Jardim, destacando a importância de ações emergenciais e de políticas públicas de apoio às cozinhas comunitárias e de promoção da segurança alimentar e nutricional. 19 cozinhas do Grande Bom Jardim produzem e distribuem refeições, e realizam outras ações sociais, atendendo quase treze mil pessoas em 62 áreas/comunidades vulneráveis, em cinco bairros da periferia urbana de Fortaleza.

O Mapa Participativo fomentou e fundamentou articulações e conquistas junto ao Estado e à sociedade civil; apresentou publicamente demandas, recomendações e propostas participativamente geradas, para enfrentamento imediato e emergencial à fome, para o fortalecimento das cozinhas comunitárias e para a promoção de políticas públicas de segurança alimentar e nutricional; deu ampla visibilidade à gravidade e ao enfrentamento à fome, revelando o protagonismo político-técnico dos agentes popular-comunitários em parceria com a Universidade, sendo divulgado em diversos jornais e programas de rádio e televisão.

Veja a cerimônia de premiação.

Categorias
Palavra-chave