Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Estudante conquista três medalhas nas Paralimpíadas Universitárias como representante da Unilab

O discente Ivanildo Tavares de Moura, que é cabo-verdiano, foi bronze em três modalidades: Lançamento de Dardo, Arremesso de Peso e Lançamento de Disco – todas elas modalidades do Atletismo

Data de publicação  01/08/2023, 11:00
Postagem Atualizada há 10 meses
Saltar para o conteúdo da postagem

O estudante do curso de Administração Pública da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) Ivanildo Tavares de Moura conquistou três medalhas durante as Paralimpíadas Universitárias, evento que ocorreu em julho deste ano, em João Pessoa (Paraíba). O discente, que é cabo-verdiano, foi bronze em três modalidades: Lançamento de Dardo, Arremesso de Peso e Lançamento de Disco – todas elas modalidades do Atletismo. Ivanildo competiu na categoria F55, para atletas cadeirantes. Essa é a segunda vez que o estudante participa das Paralimpíadas Universitárias como representante da Unilab. Moura também vai representar a Unilab no campeonato brasileiro universitário, em São Paulo, no mês de outubro, nessas mesmas modalidades.

“Representar a Unilab significa muito pra mim, por ser o primeiro atleta paralímpico da Unilab. Carregar essa responsabilidade é muito grande, por isso que faço com amor e muita dedicação, apesar de muitas dificuldades para treinar”, diz. O discente teve uma lesão medular que o deixou paraplégico e o esporte foi uma das atividades que transformou sua trajetória.  “O esporte me ajudou muito tanto na minha forma física como no psicológico, porque antes da minha lesão eu sempre fui muito ativo no mundo do esporte. Por isso é muito bom me reencontrar novamente no esporte, de forma adaptável. Isso mostra a inclusão social”, aponta.

Apesar das dificuldades, o estudante conta que consegue conciliar o tempo entre estudos na Unilab e treinamentos, em Fortaleza/CE, e ainda se sente motivado a compartilhar suas experiências com outros colegas da universidade. “Eu sinto que respiro o mundo do esporte, sou fascinado pelo esporte. Isso me ajudou muito no desempenho acadêmico, mas tem que saber separar horários do treino e estudos, os dois têm que caminhar lado a lado. Realmente não é fácil devido à distância do local do treino, mais minha ideia futura é criar um projeto para os alunos que são PcD (Pessoa com Deficiência) da Unilab, mostrar a importância do esporte”, afirma Moura.

O estudante conta ainda que um de seus objetivos centrais é trabalhar pela inclusão social. “Meu objetivo é mostrar para as pessoas PcD que, mesmo com nossas limitações físicas, a gente pode ser o que nós queremos, podemos ocupar nosso espaço na sociedade, apesar de nós PcD enfrentarmos muita falta de acessibilidade nos lugares públicos. Meu maior objetivo é lutar pela inclusão social”, aponta o discente.

Apoio

Como representante da Unilab, foi ofertado ao estudante, por parte da universidade, apoio no transporte aos treinos, blusas, além de transporte para o estudante participar da competição, disponibilizado pela Pró-Reitoria de Administração e Infraestrutura (Proadi), por solicitação da Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae).

“A Gestão Superior da Unilab vem atuando na promoção de atividades esportivas e de lazer junto à comunidade acadêmica. Nesse sentido, buscamos atender às solicitações que visam ao incentivo às práticas esportivas, mais ainda quando elas possibilitam a representação em competições que auxiliam na divulgação da Universidade”, aponta Jonh Wesley, pró-reitor da Proadi.

O pró-reitor da Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis Segone Cossa pontua que também existe uma pré-disposição da Propae em avaliar apoio aos estudantes que praticam desporto e que representam a Unilab em competições. “O decreto do PNAE (Plano Nacional de Assistência Estudantil) elege a prática do desporto, enquanto um direito e mecanismo de promoção de saúde, como elemento fundamental da permanência estudantil. Pensamos na perspectiva não só da permanência material mas também simbólica”, aponta Cossa.

Ele explica também que, embora a Unilab ainda não tenha uma política institucional formalizada para apoiar esses estudantes desportistas, a Propae tem discutido normativas que regem o Paes da Unilab e a discussão tende a avaliar uma série de propostas que chegam, inclusive as que visam atender a estudantes PcD e outros que precisam de atenção especial. Cossa também pontua que a Reitoria tem incentivado na Unilab o desenvolvimento de políticas ligadas ao esporte.

Categorias
Palavras-chave

CONTEÚDO RELACIONADO